Biocombustíveis são embuste

“Energia eólica, biocombustíveis e outras tecnologias “verdes” parecem ser alguns dos melhores investimentos para minimizar as alterações climáticas e ajudar a deter o aquecimento global, certo? Não para um dos ambientalistas mais respeitados do mundo, James Lovelock”.

Conhecido internacionalmente por ser o autor da chamada hipótese Gaia –que, resumidamente, considera o planeta Terra como sendo um superorganismo–, Lovelock afirma em seu livro “Gaia: Alerta Final” que algumas destas tecnologias não passam de “um elaborado embuste criado pelo interesse de algumas nações cujas economias se enriquecem a curto prazo pela venda de turbinas eólicas, usinas de biocombustível e outros equipamentos energéticos supostamente verdes”.

De acordo com ele, existem muitas coisas que podemos fazer para amenizar os problemas causados pelas mudanças no clima –no entanto, ele acredita ser muito pouco provável que realmente as levemos a cabo. “não perceberemos, enquanto desfrutamos de nossas vidas cotidianas, que o custo de nossa negligência poderá em breve causar a maior tragédia já vista na história da humanidade”, escreve logo no começo do primeiro capítulo da obra, “A Jornada no Espaço e no Tempo”.

Desde que ele elaborou a hipótese Gaia e a publicou em “Gaia: Um Novo Olhar Sobre a Vida na Terra”, nos anos 70, foram poucos os indícios de que a humanidade conseguirá reverter um cenário que se torna cada vez mais assustador. Talvez seja por isso que, aos 90 anos, ele pretende ser um dos primeiros civis a viajar ao espaço pela companhia Virgin Galatic, para “ver a Terra do alto antes que ela desapareça”.

Leia no link abaixo um trecho do capítulo citado de “Gaia: Alerta Final” :

aqui

ao topo