Bombas atômicas e nosso mundo.

Caros amigos:

O texto de Argemiro Ferreira sobre o lançamento de bombas atômicas estadunidenses em cidadades japonesas é muito bom para nos lembrar responsabilidades sobre o caos mundial desde então. É muito ingênuo eleger alguns ditadores medíocres de plantão para dirigir todas as críticas, esquecendo a barbárie sem fim que significou aquele ato. Rever o grande filme “Hiroshima meu amor”, de Alain Resnais, é sempre uma experiência de amarga reflexão e de deslumbramento estético.

Tenho grande apreço pela cultura estadunidense (Faulkner, Ford, Hopper, jazz, rock, filmes musicais, quadrinhos). Tenho grande medo de suas elites governamentais, que fizeram aquilo – a palavra Holocausto se aplica tristemente ao referido ato.

Abraços:

Nasci em Natal (1950). Vivo em São Paulo desde 1970. Estudei História e Artes Visuais. Escrevo sobre História (Imprensa, Artes Visuais, Cinema Literatura, Ensino). Traduzo poemas e letras de canções (do inglês e do francês). Publiquei lvros pelas editoras Brasiliense, Marco Zero, Papirus, Paz e Terra, Perspectiva, EDUFRN e EDUFRJ. Canto música popular. Nado e malho [ Ver todos os artigos ]

ao topo