Brasiliana: qualidade está melhor

“Entrou no ar hoje a nova versão da Brasiliana, biblioteca digital da USP. A novidade da versão 1.1, na verdade, é um novo software de compressão que torna mais rápido o download dos arquivos em alta resolução (300 dpi). Agora não é preciso nem escolher entre as versões em alta e baixa resolução: é tudo rapidinho.

Se você não conhece, vale a pena nevegar no acervo da biblioteca. O projeto está digitalizando o gigantesco acervo doado pelo bibliófilo José Mindlin à USP em 2006. “Não tenho o fetiche da propriedade, tão pouco da exclusividade”, disse ele em entrevista ao Link no ano passado.

O acesso ao conteúdo é livre. Você pode baixar, por exemplo, as versão digitalizada das primeiras edições dos livros de Machado de Assis, além de obras de Gonçalves Dias e Castro Alves. Há também muitos mapas, textos e imagens, como as lavadeiras retratadas por Jean Baptiste Debret em 1834 no Rio de Janeiro (acima)”. Estadão

aqui

ao topo