john

Um breve comentário a respeito de John ano 80

Minhas linhas de hoje vão dedicadas a um artista cuja vida e arte me inspiraram desde muito cedo: John Lennon. Faço como Belchior meu ‘comentário a respeito de John´, o músico inglês que viveu vida breve, e que exatamente hoje estaria completando 80 anos, impactou em muitos sentidos a arte contemporânea.

Humanista, vanguardista, crítico contestador, pacifista, romântico. Soube ser muitas destas coisas no mundo violento dos anos 60. Corajoso em romper com os ditames de um sistema comercial pop.

Socialista, defendeu mulheres, negros e apenados, lutou contra governos opressores e guerras, criticou a religião e fez canções corajosas contra o sistema sem se importar se venderia discos ou não.

Colocou o amor imenso pela sua companheira para dentro da sua obra, enfrentando preconceitos e resistências absurdas da sociedade hipócrita. Yoko, uma artista moderna, que o influenciou e o ensinou o conceito da fraternidade humana de “Imagine”.

Lembro-me perfeitamente do dia da notícia do infame assassinato. Quando ao ouvir a notícia, quase sem acreditar, corri para abraçar minha cópia do “Sgt, Peppers” e escrevi as datas do seu nascimento e morte. Eu nem sequer tocava um instrumento ainda.

Lennon foi um dos caras que me empurrou para a música. Devo gratidão a ele e celebro sua obra.

Neste exato momento escuto suas canções. Qual música estaria fazendo hoje? Quantas contribuições teria deixado? O que diria do Século XXI , do 11 de setembro e de gente como Donald Trump, por exemplo?

São respostas que o assassino nos roubou!

Sou daqueles que sempre festejo as datas natalícias, preferindo silenciar nos aniversários de partida. Não entendo tributos feitos em datas de morte. Mas o ser humano é assim, estranho e absurdo.

Viva o músico de Liverpool que ajudou a mudar a canção pop!

E muito além da sua grandiosa música, a ver com personalidade, a política e o amor.

All You Need is love!

Músico e jornalista. Praticante das coisas búdicas. Amante do blues e da democracia, mas atualmente confinado em nome da vida. [ Ver todos os artigos ]

Comentários

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

12 − dez =

ao topo