Caça às bruxas

Amigos e amigas:

Não tenho prática religiosa, embora educado, na infância, como católico. Respeito o universo cultural das religiões – cada uma delas tem elementos de Ética, Estética, até certa Lógica que explica o mundo. As religiões codificaram leis que, no mundo dos últimos dois séculos, foram assumidas explicitamente como tarefas humanas. Prefiro encarar religiões como práticas específicas, que não se confundem com a vida política. Não tenho interesse em justificar escolhas políticas em nome de Deus – a culpa não é de Deus. Cadê o pessoal que reclama do fundamentalismo islâmico?

Considero indecoroso o exibicionismo de religiosidades (falsas ou autênticas, tanto faz) como suporte de candidaturas. Nesse aspecto, os dois candidatos estão tristemente empatados – a terceira classificada também brandia intensamente essa arma -, embora o argumento de matar criancinha (cheiro de Inquisição!) deponha mais contra quem o usa.

Não tenho interesse em saber qual a crença religiosa de ninguém. Ainda mais, de candidatos à presidência. Quero saber projetos deles sobre poder político, Economia, relações sociais, Educação, Cultura. Como ficará o combate à pobreza? Como ficarão as garantias de trabalho – único recurso de sobrevivência para a maioria?

Será que nesses dias que antecedem o segundo turno haverá espaço, em campanhas e debates, para o que realmente interessa?

Em tempo: não adianta dizer que atendem à demanda da platéia. Política, em nível mais sério, também educa a platéia para valores e questões realmente pertinentes. Quem fica no suposto nível da platéia é gente interessada em explorar limites alheios em benefício próprio. E conheço coisas muito melhores da platéia que essa nova caça às bruxas.

Abraços:

Nasci em Natal (1950). Vivo em São Paulo desde 1970. Estudei História e Artes Visuais. Escrevo sobre História (Imprensa, Artes Visuais, Cinema Literatura, Ensino). Traduzo poemas e letras de canções (do inglês e do francês). Publiquei lvros pelas editoras Brasiliense, Marco Zero, Papirus, Paz e Terra, Perspectiva, EDUFRN e EDUFRJ. Canto música popular. Nado e malho [ Ver todos os artigos ]

Comentários

There is 1 comment for this article

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezessete − onze =

ao topo