Cacá, o cinema e as pequenas intrigas

Quem teve a oportunidade de ver a entrevista do cineasta Cacá Diegues no Roda Viva dessa segunda-feira assistiu a uma grande aula sobre cinema brasileiro e sobre o Brasil mesmo.

Extremamente lúcido, profundo e desassombrado em suas respostas, Cacá traçou um histórico realista, porém otimista acerca de nossa produção cinematográfica. Por sinal, considerou o atual momento como um dos mais ricos de nossa história no que respeita à sétima arte.

Contribuiu deveras com a ideia de que se deve provocar a derrubada do muro entre a arte e a cultura produzidas na periferia e aquelas desenvolvidas nos espaços “centrais” urbanos.

Uma aula, de fato! Apesar das pequenas intrigas abortadas e da direitice chata de um dos entrevistadores, o Augusto Nunes.

Ah! E como faz falta o Paulo Markun!

Advogado público e escritor/poeta. Membro da Academia Norte-Rio-Grandense de Letras. [ Ver todos os artigos ]

Comentários

Há 4 comentários para esta postagem

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

treze + dois =

ao topo