Calligaris se equivoca

Vale, sim, a opinião de Calligaris sobre a difícil e desconfortável questão da pedofilia na Igreja Católica, mas jamais poderei concordar com a ideia de que a horrorosa repressão sexual – que é a tradução melhor para o celibato e para a castidade – não seja um fator determinante e muito influente no sentido do agravamento do quadro.

Concordo com a frase que diz: “Fantasias e orientações sexuais nunca são o efeito de acumulação de energia sexual insatisfeita”. Mas, para quem tem outras fontes de insatisfação, traumas, etc, é “a oportunidade que faz o ladrão”. Dar vazão ao que reprimido é o movimento lógico que todos conhecemos. Basta lembrar o que ocorre em todas as guerras…

“O Homem é o homem e suas circunstâncias“, escreveu Ortega y Gasset. Nesse caso, as circunstâncias do celibato e da castidade é que permitem o crescimento absurdo das taras.

Dogmas e processos administrativos arquivados são somente componentes a botarem mais lenha na fogueira. E no “fogo” de alguns religiosos aloprados.

Advogado público e escritor/poeta. Membro da Academia Norte-Rio-Grandense de Letras. [ Ver todos os artigos ]

Comentários

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ao topo