Cantiga das águas

ilhota
(Arquivo pessoal).

Acalanto,
……………….
Murmúrios,
……………….
Cantiga das águas
………………………
Leito brilhante, onde o Sol também se banha
Sons que sussurram notas com perfume – verde
Este balanço doce tem feitiço
Num vai-e-vem sonoro e sutil…
Amanhecem, tuas águas cristalinas…
Lençol tépido aquece-me a alma
Fazendo deitar e repousar…
Zum-zum… As folhas em acalanto fazem,
Fazendo para ninar…
A dor repousa. Brisa mansa…
O olhar se perde… Num vagueio “irmão da fantasia”…
Festa do natural “azul…”
Onde os peixinhos beijam-se, saudando o leito…
Aguardando o transbordar
BRINCAM COM GOTAS DE CHUVA…
LAGOA…
Onde adormecem sonhos lindos e encantados
De amores e de vidas.
ILHOTA
Tuas calmas e onduladas ondas e espumas,
São versos,
Que fazem ser bela e feliz
A nau perdida (qualquer)(quaisquer…)
E as lágrimas que misturam-se à tua beleza
Abençoam a vida pondo luz na escuridão.

(Ednar Andrade).
(01*06*2011).

Comentários

Há 4 comentários para esta postagem

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

um × um =

ao topo