CarLoki!

mutantesMais um excelente texto de Carlos de Souza. Mais uma pedrada no coração e no cabeção.

Coincidentemente, nessa semana que passou comprei o DVD sobre a trajetória de Arnaldo Baptista (ainda não o tinha visto no cinema) e o assisti três vezes. E é um soco no estômago! Curiosamente, Carlão, também assisti ao filme em companhia de minha mulher e também choramos juntos, nos emocionamos fortemente com o documentário maravilhosamente dirigido por Paulo Henrique Fontenelle. Já conhecia uma parte da história dos irmãos Baptista e dos Mutantes (apesar de eu ter nascido só em 1969), mas confesso que fiquei abismado com a percepção mais acentuada que tive acerca da importância de ambos para a cultura e música do Brasil. E o cara (o Arnaldo) é conhecido e reconhecido lá fora. Aquelas imagens em Londres demonstram tudo. O pessoal parando Arnaldo na rua para abraçá-lo, para cultuá-lo, para demonstrar amor real… O LP no sebo londrino…

A paixão de Arnaldo por Rita é uma outra história de fazer suspirar. E não é frescura, não! O cara se jogou da janela do hospício em que estava (pela quinta vez) num dia 1º de janeiro. Sabem quem aniversaria na véspera? Rita Lee. Sabem quem internou Arnaldo pela primeira vez? Rita Lee.

Rita Lee recebe um tratamento um pouco irônico no filme. Há, inclusive, insinuações de que teria traído Arnaldo (com o Sérgio?). Agora, sacanagens sexuais e lisérgicas à parte, é inegável que ela se superou enquanto artista, após a saída dos Mutantes. Ela é da pesada!

A fã (“a minha menina”) que (de uma certa forma) salvou Arnaldo para a vida, também o está salvando para a música, sua mais profunda paixão. A ela, a música brasileira deve louvores.

O documentário é uma das melhores coisas da década, não tenho dúvidas. Revela muito mais do que as facetas de um músico genial…É um raio-x sensível de uma época inteira (vivenciada por inúmeros criativos “Loki”, em meio à ditadura, rock´n’ roll, desbunde, drogas e lúdica magia) e de suas repercussões até os dias de hoje.

Saudades de um tempo que não vivi…

Sugiro aos leitores do SPlural que também assistam aos documentários (recentemente lançados em DVD) sobre Paulo Vanzolini (‘Um homem de Moral”), Os Titãs (‘A vida até parece uma festa”), e Caetano Veloso (‘Coração Vagabundo”).

Estamos numa época em que se começa a valorizar e resgatar nossa história artística e musical.

Advogado público e escritor/poeta. Membro da Academia Norte-Rio-Grandense de Letras. [ Ver todos os artigos ]

ao topo