Geral

“Cartas de Salamanca”: um passeio sem pressa

Por Webston Moura
No blog O ARAIBU

Desde o final do ano passado, estou em dívida com o camarada David de Medeiros Leite, mossoroense com a alma temperada de aromas d’Espanha, que mui gentilmente colocou um poema meu na contracapa de seu luxuoso livro Cartas de Salamanca (Sarau das Letras, 2011).

Mas não apenas por isso estou em dívida. Também pela sua paciência e sua oferta de mundos a que só conheço de ouvir falar, desde tempos antigos de Mossoró às ruas de Salamanca, mundos da realidade e da imaginação dele. E o que é escrever senão imaginar a realidade, mesmo a mais concreta? O literato é, sem resistência, um criador que vai além do ordinário das coisas e das situações, transfigurando-as em acontecimentos que, condensados na escrita, resultam em arte, êxtase.

David é, por natureza, um observador atento, cheio de sentimento pelo cotidiano, conforme o que mais uma vez constatamos neste novo livro. É o olhar do cronista com um viés poético, um olhar que passeia e imagina. Sóbrio, sonha sem maiores sentimentalismos, atento aos detalhes da duração das coisas e lugares em sua memória de observador.

Minha retribuição não será apenas o presente relato, mas algo mais que hei de trazer em tempo hábil, umas releituras das próprias palavras de David nessas crônicas acolhedoras. Depois.

Estas crônicas lembraram-me o poeta pernambucano João Cabral de Melo Neto, que muito interessantemente cruzou impressões de sua terra com a região da Andaluzia, na Espanha, posto ter vivido naquele país a serviço da diplomacia brasileira. À sua maneira, David de Medeiros Leite compôs relatos nesse sentido, buscando as claridades irmãs desses dois espaços banhados de sol.

Como incentivo ao leitor que chegou até aqui, cito uma crônica cujo título já dá curiosidade: “Carta de Câmara Cascudo a Miguel de Unamuno”. Do que se trata? Só lendo.

Posteriormente e noutro espaço voltarei para cumprir o restante da minha dívida com o poeta e cronista David de Medeiros Leite. Por hora, adiantando alguns dados sobre o mesmo, relato ser este jovem senhor de formação em Direito e Administração de Empresas, sendo esta segunda o que o levou a cursar um doutorado na Universidade de Salamanca e se deixar levar pelos mesmos aromas que outrora fizeram moradia na figura de ninguém menos que Miguel de Cervantes, outro Miguel e também de Espanha.

Vamos lê-lo? Claro, sem pressa.

Serviço:

Cartas de Salamanca (crônicas)
Editora Sarau das Letras
Rua Antônio Vieira de Sá, Quadra 45, Casa 3, Anexo
Conjunto Portal do Sol, Nova Betânia, Mossoró-RN
CEP: 59.607-100
clauderarcanjo@gmail.com
davidmleite@hotmail.com

Share:
Tácito Costa

Comentários

Leave a reply