Carvalho escreve sobre “Facundo”

O escritor Bernardo Carvalho escreve sobre o livro Facundo – ou civilização e barbárie, de Domingos F. Sarmiento (tradução e notas de Sergio Alcides). Ao falar sobre a principal obra da Argentina, Carvalho se concentrou no prefácio à edição brasileira, escrito por Ricardo Piglia, no qual o autor argentino delineia a contradição vivida pela literatura do país no século XIX, que estabelece uma dupla relação: uma com a prática política nacional e outra, com as literaturas estrangeiras, numa perspectiva que ele chama de estrábica.

aqui

Comentários

Há 3 comentários para esta postagem
  1. João da Mata 6 de julho de 2010 14:27

    Lívia, sua observação é válida. Mas quando voce abria o post abria no belo site da Cosac Naify

  2. Livia 6 de julho de 2010 14:07

    Faltou mencionar a editora que publicou o livro: COSAC NAIFY.

  3. João da Mata 5 de julho de 2010 16:30

    E eu que pensava que a maior (principal) obra Argentina era o poema épico Martin Fierro

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ao topo