Crônica

Como dois e dois são quatro Sei que a vida vale a pena Embora o pão seja caro E a liberdade pequena Ferreira Gullar Estava na casa de um amigo, tomando uma cerveja e saboreando um delicioso caldo de peixe, quando de repente ele diz que precisa dar uma saída para entregar uma encomenda e […]

Continuar Lendo

A melhor voz que há em mim é o silêncio. Cerzido no manto do tempo pela agulha da espera, costurado com fio de delongas e drapejado com difusas suposições. *** Quantas vezes pensei que alcançara certezas, quando, em verdade, em verdade, me aproximava, cada vez mais, do poço fundo das dúvidas. *** Louva aquele que […]

Continuar Lendo

Assim como a maioria das mulheres que ainda não têm filhos, especialmente as que estão solteiras, vez por outra, sou questionada sobre a maternidade. E foi exatamente isso que aconteceu dias atrás, durante minha aula de ginástica. Conversando com uma senhora que acabara de conhecer, e que já havia me contado boa parte de sua […]

Continuar Lendo

Hoje amanheci decidido a mudar completamente a minha vida. Resolvi finalmente romper os grilhões que me acorrentavam a um modo de ser que não correspondia aos meus anseios. Há tempos percebi que era chegada a hora de me rebelar contra meus arquétipos de comportamento. Desde muito jovem que sinto avultar-se em minhas entranhas, devorando-me internamente, […]

Continuar Lendo

Dia desses estava no cinema com uma amiga aguardando o filme começar quando fui abordada por uma moça simpática que nos ofereceu pipoca. Ela estava sentada numa fileira atrás da nossa, acompanhada por uma outra mulher, também muito simpática. Sorridente, e com um daqueles baldes enormes de pipoca na mão, ela disse: “Compramos uma pipoca […]

Continuar Lendo

Um dos maiores nomes da crônica jornalística potiguar de todos os tempos, Woden Madruga completou, este ano, 80 anos de idade e mais de 60 anos de jornalismo. Desde 1964, ele escreve diariamente uma coluna para Tribuna do Norte, Jornal de WM, página 2, quiçá uma das mais antigas do Estado, sempre com temas como […]

Continuar Lendo

Um sujeito olha para a mulher e diz, “moça, se você inclinar novamente esse ventilador, eu vou te bater, quebrar essa tua mesa; tu (sic) não está pagando nada, eu estou pagando dez mil reais”. Presenciei essa ameaça recentemente, entre uma artesã e um comerciante, num grande evento comercial que acontecia na cidade. Ele alegava […]

Continuar Lendo

Mesmo depois de uma noite maldormida, decidi levantar cedo naquele dia porque não queria adiar um certo compromisso, tampouco perder a carona de um colega de trabalho que é sempre muito gentil quando preciso de algum favor dele. Além disso, almoçaríamos juntos naquele dia. Depois de alguns bocejos e algumas reflexões matinais, decidi que um […]

Continuar Lendo
Vá para Topo