Poesia

Em março de 2016, nascia no Café Salão Nalva Melo um movimento para fazer girar as poéticas autorais de artistas natalenses. O Sarau Insurgências Poéticas celebra neste mês dois anos de plena atividade, com muitas atividades, e para dar início a esta celebração, retomam a InterAção Nordeste com homenagem ao poeta pernambucano Miró da Muribeca. […]

Continuar Lendo

À Christina Bielinski Ramalho   Desata o farol sobre as asas que riscam as cosmologias (do espaço e do tempo): luz-tinta; matéria-prima; gramática-bailarina; língua.   Pisoteando o papel em ponta de pé, o bico da sapatilha não fere o palco, mas preenche com piruetas (des)equilibradas a ágora retangular do caderno. Os passos coram o pano-cru […]

Continuar Lendo

A cigarra foi ao jardim, lá viu uma cena engraçada, a história de um beija-flor que não tinha namorada. Não tinha porque era apenas um beija-flor pouco formoso, desses que, quando voam, ninguém vai dizer, que charmoso! Ninguém olhava para ele, Era um beija-flor sozinho, Toda beleza sua era o bico Todos fugiam do seu […]

Continuar Lendo

intensas são as águas da noite profundo o silêncio onde o passado ainda presente movimenta o imaginário para sobreviver no novo mundo o despertar aguarda o sinal de cruzar a sombra a hora que anuncia a estrela d’alva antes disso é precipitação queda abismo de luz que arrebata o dia do qual não se terá […]

Continuar Lendo

  Vivemos noutro mundo. Isso mesmo a esmo. Paralelo. Ipê amarelo que minha cantora Patricia gosta tanto. Muitas camadas. Muitas formas de ser. Grandes homens que já passaram por este mundo eram… Jogador de futebol Messe. Beethoven. Einstein. E um patafufo adotado… E mais de centenas. De Caicó a Atenas. Mecenas. Apenas. Quarentenas. Mas ainda […]

Continuar Lendo

Um colar de ceroto no pescoço, Um chinelo c’um prego na correia, Uma vaca de pau, outra de osso, Uma bola de saco, pano e meia.   “Quick” ao leite quentinho de manhã… A garrafa de bila quase cheia, Um cascudo que dei na minha irmã, Mas mãe soube depois e tome peia.   As […]

Continuar Lendo

Ilustração: “O triunfo de baco” (Cornelis De Vos – óleo sobre a tela – Museo del Prado (Madrid, Spain)   Extravagante orgia De faunos e bacantes Dança a carne na folia Do orgasmo dos amantes. Ébria coreografia Entre éteres inalantes À multidão anuncia A loucura dos passantes. Belos corpos sensuais Oferecem amores falsos Em imenso […]

Continuar Lendo

O tempo escapa e eu não esqueço o dia Que em minha casa não havia ceia… Lancheira seca, mesmo assim eu ia À velha escola, quase doze e meia…   Chutando as pedras que na estrada havia, Chegava lá com minha cara feia… Bolsa de lápis quase que vazia, Mas das pedrinhas que eu juntava… […]

Continuar Lendo

Em dezembro último a poeta potiguar Ana Paula Oliveira lançou em São Paulo o seu livro de poemas “Infinito sobre o peito”, que pode ser adquirido no site da editora Penalux, que editou a obra. Ana P. Oliveira nasceu em Natal (RN) em 1971 e está radicada em São Paulo (SP) há dezesseis anos. É mestre […]

Continuar Lendo
Vá para Topo