Cenas do Brasil – Série – 01

.

O historiador Câmara Cascudo e o general João Figueiredo

.

A fotografia resgata a história e permite um olhar mais demorado sobre os fatos. Cenas dos Brasil tem essa motivação, de buscar imagens da história do nosso país para apreciação. Alguns ainda alcançaram muitos dos fatos aqui expostos nas fotografias e lembrarão acontecimentos paralelos, tanto da nação, quanto da própria vida, pois marcaram o nosso cotidiano.

Lembro-me de muitos fatos da minha infância, ainda na ditadura militar, que me assustaram terrivelmente, como a estória que os adultos contavam sobre os comunistas, havia uma propaganda do medo. Os fortes movimentos estudantis, a educação voltada para o patriotismo, a espionagem silenciosa do governo, a invasão das tecnologias americanas. As novelas do rádio, nossa primeira TV.

Pelas imagens é possível lembrar muitos fatos vividos. Para se entender bem nosso país hoje, é necessário uma boa dose de revisitação histórico/fotográfica. É o que proponho com esta série.

.
.
Rara e interessante cena. Os três irmãos: d. Antônio, d. Pedro e d. Luíz, filhos da Princesa Isabel e Conde D´eu,  num triciclo pouco antes do exílio de d. Luíz com o golpe de 1889.
.

.


Um escândalo em 1911, uma mulher vestia a última novidade de París, um jupe-culotte (saia-calça) e caminhava pelas ruas. A roupa ajustava-se ao corpo realçando as curvas femininas. Foi vaiada, agarrada e quase despida em público.

.

.


A cidade de são Paulo bombardeada em 1924 durante a revolta dos tenentes. 15000 soldados e artilharia pesada sobre a cidade fizeram 500 mortos e aproximadamente 5000 feridos e o êxodo de parte da população.

.

.


Aproximadamente 25 000  pessoas  estiveram na recepção ao Graf Zeppelin no Rio de Janeiro em 26 de Maio de 1930. Dava-se o início ao tráfego aéreo entre Europa e America latina e o estabelecimento de uma linha postal. A maior parte da carga do Zeppelin era de malas postais.
.

.

Ari Barroso ao ser proibido de entrar no são Januario (estádio do Vasco) porque havia criticado a diretoria do time e de posse de um binóculo transmite de um telhado próximo o jogo Vasco e Fluminense. Isto na década de 1930 quando Ari Barroso era locutor da Rádio Tupi.
.

.


Cartazes de convocação militar em Agosto de 1939, o Brasil chama seus reservistas. Mesmo com a guerra o país ainda não sabia de que lado estava.
.

.

Carros equipados com gasogênio em 1943 no Rio de Janeiro, alternativa durante a escassez de combustível provocada pela guerra.
.

.

Maio de 1944 no Rio de Janeiro, a Primeira Divisão de Infantaria Expedicionária ( 1ª DIE ) exibe-se nas ruas antes de partir para o front, acompanhados atentamente por um grupo de normalistas.
.

.

Os estudantes brasileiros já foram mais ativos politicamente. Desde muito cedo eles estiveram presentes em protestos e greves. Aqui  um piquete de estudantes  em maio de 1956 contra o aumento das tarifas de bonde no rio de Janeiro.
.

.

Garrincha ampara Pelé no choro após o quinto gol contra a Suécia na final da copa de 1958. Era a primeira vez que um país ganhava uma copa fora do seu continente. O Brasil fez 5 a 2.
.

.

Manteiga distribuída pela Aliança para o Progresso nos anos 1960 fruto de parcerias assistencialistas com os Estados Unidos e muito combatida pela esquerda brasileira. A esquerda, que endeusava Fidel Castro, tornou célebre palavras como Imperialismo e burguesia, indispensáveis na atualidade, por exemplo,  ao vocabulário de Hugo Chaves e seus seguidores.
.

.

Beto Rockfeller apareceu já no final dos anos 1960 (68/69), no meio dos dramalhões da época era uma proposta de novela revolucionária, pois trazia como protagonista um pé rapado que com sua capacidade de enganar as pessoas queria subir na vida sem esforço. Foi dirigida por Lima Duarte e teve 300 capítulos.
.

.

O nascimento da famosa Cidade de Deus, que foi criada para abrigar os favelados removidos da zona sul do Rio de Janeiro e os flagelados da enchente de 1966.
.

.

No início  de 1974, 182 pessoas morreram e mais de 300 ficaram feridas no incêndio mais famoso do Brasil. O Joelma marcou a era dos grandes edifícios  de São Paulo e com eles a negligência  com  a segurança.
.

.

Publicado originalmente no Imagenns e Letras


Comments

There are 3 comments for this article
  1. João da Mata
    DAMATA 17 de Outubro de 2012 16:37

    Saldanha, muito boa sua fotopostagem. Seria bom, na medida do possivel colocar as fontes e autores das fotos.

    Cascudo tinha mesmo uma grande admiração pelo ex-presidente ditador Figueredo. O Homem que dizia gostar mais de cheiro de cavalo que de gente.

    Poderia dizer como postar com imagens?

  2. Olavo Saldanha 19 de Outubro de 2012 15:10

    Grande Damata, amigo poeta, vou sim fazer o possível para publicar as fotos com seus autores e datas, as fontes geralmente são de meus livros fotográficos, mas também as publicarei.

    Sobre Cascudo é um fato bem interessante esse que você citou.

    A questão da postagem de imagens, eu não as faço pelo SP, não há uma opção aqui para tal. Como eu trabalho com Wordpres, o meu blog “Imagens e Letras” (http://olavosaldanha.wordpress.com/) tem como característica as imagens, fica fácil pra mim publicar assim.

    Qualquer dúvida estou à disposição. Abraço

  3. João da Mata
    DAMATA 19 de Outubro de 2012 15:30

    Amigo Saldanha, dei uma brechada no seu blog. Gostei muito. O fundo preto destaca as fotos. Tambem gosto muito de fotografias. Vou aprender com voce para fazer umas fotopostagens sobre alguns temas do meu interesse. abraços. :

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Go to TOP