Cenas gratuitas, exageradas e grotescas fazem ‘A Serbian film’ perder o impacto pretendido

O diretor estreante Srjdan Spasojevic fez um filme para chocar, abordando sem sutileza os mais variados tipos de tabus sexuais.

aqui

Comentários

Há 2 comentários para esta postagem
  1. Ramilla Souza 2 de agosto de 2011 12:53

    Não importa. Não deveria ter sido censurado e ponto.
    Não são os políticos (menos ainda os políticos do DEM) que vão determinar o que nos cabe ou não assistir.

  2. Nina Rizzi 1 de agosto de 2011 11:15

    Há uns dois meses, quando procurava um contato do Chico Guedes, achei uma menção ao filme e baixei. quando fui assistir as legendas estavam fora de tempo, consegui aguentar uns 20 minutos com a legenda em inglês, nada muito difícil, diálogos curtos, fáceis e de quando em quando. Mas aí veio essa polêmica toda e ontem resolvi assistir com alguns amigos; sabemos que bizarro é algo “engraçado”, mas não me vem outra palavra, nada-engraçada, pra falar do filme. A cena da imagem acima parece de “mulheres amazonas na lua”, onde a lua é de isopor presa por um fio de anzol. A personagem do diretor reitera todo o tempo para Milos, o ator pornô: “Isso é cinema, isso é arte”, fica evidente seu ‘eu-lírico’: o próprio cineasta de “A Serbian Film” legitimando sua obra rasa e gratuita. Como os demais personagens, não concordo, isto não é um filme de arte, muito embora seja rasgante os olhos de Milos. De qualquer modo, faria mais sentido censurar os nossos censores…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ao topo