Centenário de um bonito moreno valente

No dia 19 de março de 1911 nasceu um dos maiores compositores brasileiro de todos os tempos, o baiano José de Assis Valente. Pergunto-me o que acontece com a memória e a cultura desse país. Pouco ou nada ouvi falar sobre Assis Valente nessa importante efeméride da cultura brasileira. Trata-se de um gênio da nossa música autor de alguns dos grandes clássicos do cancioneiro brasileiro. Valente compôs sambas e canções cantadas em todas as épocas do ano. Para o Dia de Natal de 1932, ele compôs deprimido a pungente e antológica “ Boas Festas”.

Anoiteceu, o sino gemeu
E a gente ficou feliz a rezar…
Papai Noel, vê se você tem
A felicidade pra você me dar
Eu pensei que todo mundo
Fosse filho de Papai Noel
E assim felicidade
Eu pensei que fosse uma
Brincadeira de papel
Já faz tempo que eu pedi
Mas o meu Papai Noel não vem
Com certeza já morreu
Ou então felicidade
É brinquedo que não tem

Para o dia da São João, Valente compôs “Cai Cai Balão”, gravado pela dupla Francisco Alves e Aurora Miranda

Cai, cai, balão! / Você não deve subir / Quem sobe muito /
Cai depressa sem sentir / A ventania / De sua queda vai zombar
Cai, cai, balão! / Não deixe o vento te levar / Numa noite na fogueira
Enviei a São João / O meu sonho de criança / Num formato de balão
Mas o vento da mentira / Derrubou sem piedade / O balão do meu destino
Da cruel realidade / Atirada pelo mundo / Eu também sou um balão
Vou subindo de mentira / No azul da ilusão / Meu amor foi a fogueira
Que bem cedo se apagou / Hoje vivo de saudade / É a cinza que ficou!

O compositor de dezenas de grandes clássicos da Música Popular Brasileira teve uma vida infeliz com reflexo visível nas letras de suas músicas, como as acima mencionadas. Compôs também muitas músicas para o carnaval. Em 1936 o Bando da Lua grava a deliciosa “ O que é que Maria tem ?

Que vantagem Maria tem?
É boa
Como é que Maria vive?
À toa
Com quem é que Maria mora?
Comigo
De quem é que Maria gosta ?
Não digo !
Não digo, porque tenho a certeza….

Um dos seus primeiros clássicos é uma canção que satirizava a mania dos granfinos de falar francês “ Tem Francesa No Morro”, gravada pela atriz de teatro de revista Araci Cortes.

Donê muá si vu plé lonér de dancê aveque muá
Dance Ioiô
Dance Iaiá

Si vu frequenté macumbe entrê na virada e fini por sambá
Dance Ioiô
Dance Iaiá

A bombshell Carmen Miranda, por quem Assis Valente foi apaixonado, foi uma das principais intérpretes do compositor e gravou muitos dos seus grandes e eternos sucessos: Minha Embaixada Chegou, Camisa Listrada, E o mundo não se acabou, etc.

Outros interpretes valentianos foram os grandes conjuntos musicais que pontificavam no Brasil na grande fase de ouro da MPB: Bando da Lua, Quatro Ases e um Coringa, Os Diabos do Céu, etc

Meu moreno fez bobagem. Vestiu uma camisa listrada e saiu por ai. tocando reco-reco. No emblemático dia 13 de maio de 1941, o protéico deprimido e devendo muito, tenta o suicídio pulando do alto do Corcovado. Por um milagre não morre preso nas folhagens de uma arvore. Sua situação psicológica e financeira não melhora e em 1950 tenta novamente o suicídio cortando os pulsos. O grande compositor escapa, mas não melhora sua vida conturbada, inclusive por uma sexualidade difícil de assumir pela repressão. Em 1958 o triste e genial compositor põe fim à sua vida tomando guaraná com formicida. Uma vida breve de alguém que viveu torturado e compôs belas musicas tristes e alegres num chiaroscuro de uma existência cujas forças do mal não conseguiram ser contidas. Entre a alegria e tristeza ele viveu. O samba “ Alegria” ao mesmo tempo que louva a batucada é triste “só por causa do batente.”

Alegria pra cantar a batucada,
As morenas vão sambar,
Quem samba tem alegria,
Minha gente era triste, amargurada,
Inventou a batucada,
Pra deixar de padecer,
Salve o prazer, salve o prazer.

Da tristeza não quero saber,
A tristeza me faz padecer,
Vou deixar a cruel nostalgia,
Vou fazer batucada,
De noite, e de dia vou cantar.

Alegria pra cantar a batucada,
As morenas vão sambar,
Quem samba tem alegria,
Minha gente era triste, amargurada,
Inventou a batucada,
Pra deixar de padecer,
Salve o prazer, salve o prazer.

Esperando a felicidade,
Para ver se eu vou melhorar,
Vou cantando, fingindo alegria,
Pa a humanidade,
Não me ver chorar.

Suas músicas foram depois gravadas por grandes interpretes da MPB. No filme de Carlos Diegues “ Quando o Carnaval Chegar” , Chico, Nara e Bethânia cantam ‘ Minha Embaixada Chegou”. Em um dos maiores discos da MPB, Acabou Chorare, os Novos Baianos cantam a sua musica mais conhecida e cantada “Brasil Pandeiro”. A musa da Bossa Nova também gravou de Assis Valente o “ Fez Bobagem”. Musica composta por Valente após sua primeira tentativa de suicídio, e gravada inicialmente pela grande Aracy de Almeida.

E O MUNDO NÃO SE ACABOU

Assis Valente foi um grande cronista do Rio de Janeiro. Com a divulgação da descoberta pelos astrônomos do asteróide Hermes e sua possível ameaça de se chocar com a Terra ocasionando uma tragédia, o compositor Assis Valente compôs em 1938 um dos seus mais belos e antológicos samba-choro.

Anunciaram e garantiram que o mundo ia se acabar
Por causa disto a minha gente lá em casa começou a rezar
Até disseram que o sol ia nascer antes da madrugada
Por causa disto nesta noite lá no morro não se fez batucada

Acreditei nessa conversa mole
Pensei que o mundo ia se acabar
E fui tratando de me despedir
E sem demora fui tratando de aproveitar
Beijei a boca de quem não devia
Peguei na mão de quem não conhecia
Dancei um samba em traje de maiô
E o tal do mundo não se acabou

Peguei um gajo com quem não me dava
E perdoei a sua ingratidão
E festejando o acontecimento
Gastei com ele mais de quinhentão
Agora soube que o gajo anda
Dizendo coisa que não se passou
Ih, vai ter barulho e vai ter confusão
Porque o mundo não se acabou

Outro grande sucesso de Assis Valente foi gravado por Carmen Miranda, antes de retornar á América para tristeza do compositor. O bem humorado samba-choro Recenseamento, em que o malandro na penúria tem a sua vida devassada pelo recenseamento de 1940.

Em 1940
lá no morro começaram o recenseamento
E o agente recenseador
esmiuçou a minha vida
que foi um horror
E quando viu a minha mão sem aliança
encarou para a criança
que no chão dormia
E perguntou se meu moreno era decente
se era do batente ou se era da folia

Obediente como a tudo que é da lei
fiquei logo sossegada e falei então:
O meu moreno é brasileiro, é fuzileiro,
é o que sai com a bandeira do seu batalhão!
A nossa casa não tem nada de grandeza
nós vivemos na fartura sem dever tostão
Tem um pandeiro, um cavaquinho, um tamborim
um reco-reco, uma cuíca e um violão

Fiquei pensando e comecei a descrever
tudo, tudo de valor
que meu Brasil me deu
Um céu azul, um Pão de Açúcar sem farelo
um pano verde e amarelo
Tudo isso é meu!
Tem feriado que pra mim vale fortuna
a Retirada da Laguna vale um cabedal!
Tem Pernambuco, tem São Paulo, tem Bahia
um conjunto de harmonia que não tem rival
Tem Pernambuco, tem São Paulo, tem Bahia
um conjunto de harmonia que não tem rival

Físico, poeta e professor [ Ver todos os artigos ]

Comentários

Há 3 comentários para esta postagem

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

3 × um =

ao topo