Certas diferenças. Certas superioridades…

Sempre tomei muito cuidado e nunca aceitei quando alguns sujeitos/sujeitas tentam me engabelar ou me diminuir com demonstrações de superioridade intelectual e/ou mesmo social, ou qualquer porra dessas.

E não foi uma e não foram duas vezes, somente, não. Foram várias (afinal, moro em Natal, ômi!).

Dia desses, um sujeito com quem eu bebia um copo de vinho num evento natalense me mostrou um relógio Rolex e foi logo atirando à queima-roupa: – Comprei por R$ 20.000,00.

E eu, bobo como sou, fui logo perguntando: – Que horas são aí, bicho?

O cabra respondeu, já meio tenso, talvez percebendo o que viria depois: – São dez e meia da noite! E o vinho tá esquentando…

Minha única e última resposta: – Bicho, o meu Technos tem uns oito anos (igual ao meu carro), comprei por uns 250 paus,  e está marcando a mesma hora que o seu relógio. Que coisa, né não? E já tá na hora de eu ir pra casa, ver um filminho vulgar e ler um livrinho de bolso que comprei na banca da esquina. Tchauzinho, bicho!

Advogado público e escritor/poeta. Membro da Academia Norte-Rio-Grandense de Letras. [ Ver todos os artigos ]

Comments

There are 5 comments for this article
  1. Jairo Lima 4 de Junho de 2012 15:32

    He he he, é isso mesmo, cumpade poeta, é isso mesmo.

  2. Lívio Oliveira
    Lívio Oliveira 4 de Junho de 2012 15:58

    É, cumpade. Mas, a gente vai resistindo, enquanto o comboio de cordas funcionar.

  3. Jarbas Martins 5 de Junho de 2012 8:03

    Cumpade, essa tua historinha tá parecida com um curta (que eu adoro) de Lars von Trier. Conhece ? Tá no “Cada um com seu cinema”, onde participam vários diretores, inclusive o nosso Walter Salles. Historinha e curta deliciosos. Ablação !

  4. Lívio Oliveira
    Lívio Oliveira 5 de Junho de 2012 9:43

    Lars, doce Lars.

  5. Lívio Oliveira 7 de Junho de 2012 20:06

    Cumpade Jarbas, meu bispo ang(l)icano, que esteve ausente na festa da nossa Queen, a ligação telefônica caiu. Depois me liga, depois me diga. Pode ser por imeio, mesmo que meio impessoal, ou espere, se não me levarem a nau, digo: a mal, que a bateria do meu celular carregue. Isso, meu nego. Não negue. Quando as baterias estão carregadas, a conversa fica melhor.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Go to TOP