Que cerveja é essa? Hoegaarden Original White

Hoegaarden.2Lobo-Guará. Emprego de cobrador de ônibus. Cervejas belgas de trigo. Sabe o que eles três têm em comum, confrade? Conviveram com a real ameaça de extinção.

E assim como o fim de uma espécie animal ou de uma classe trabalhista, o fim de um estilo de cerveja possui um impacto imenso em uma sociedade, já que se trata da perda de um elemento formador de identidade, descaracterizando uma cultura aos poucos.

E é sobre a Witbier, esse estilo secular que surgiu por um grande evento da história, e quase sucumbia por conta de outro, que falaremos hoje.

Quem nos guiará nessa jornada nada mais é a Hoegaarden, rótulo-símbolo dessa ressurreição.

IPA, é você?

Muito provavelmente o confrade já ouviu falar ou experimentou um India Pale Ale, ou simplesmente IPA. Um estilo marcado, principalmente, pela adição de lúpulos em quantidades maiores que outros estilos – e que certamente será assunto de um papo futuro.

E você deve estar se perguntando quantas cervejas eu tomei para começar falando sobre um estilo e já ter mudado de assunto. Mas segure esse raciocínio. Daqui a pouco eu falo sobre ele.

Voltando à Witbier (ou Bière Blanche), ela surgiu como fruto de uma época, no século XVI, no auge do período de circum-navegação marítima e expansão das colônias europeias pelo planeta.

Diferente do período atual, em que o lúpulo é o lobo-alfa da composição de qualquer cerveja, era comum que outros condimentos fizessem parte das receitas de 500 anos atrás – louro, sálvia, alecrim, gengibre, dentre outros.

Sendo assim, nada mais justo que imaginar o boom que foi, à época, quando os europeus se depararam com a quantidade e exotismo das especiarias de suas colônias na África e Ásia – cravo, canela, noz-moscada, pimentas… e mais especificamente, sementes de coentro, que adicionadas a cascas de laranja-azeda da ilha de Curaçau, malte de cevada e trigo cru, fizeram a alegria do vilarejo de Hoegaarden, na Bélgica…

Hoegaarden.2Pelo menos até meados do século XX, quando a realidade pós-guerra da região fez o estilo praticamente desaparecer. Não fosse a iniciativa do leiteiro Pierre Celis, que em 1966 montou a De Kluis e fez uma Witbier que levaria o nome da cidade que a popularizou.

Depois de um incêndio a cervejaria quase fechava as suas portas, até ser vendida ao conglomerado InBev… mas parar a história até onde ela é bonita e romântica.

I’m a survivor

Mas valeu a pena todo esse esforço para manter viva uma cerveja que já teve tantas oportunidades de fenecer? A resposta, confrade, é um turvo, cítrico e condimentado “sim”!

Com sua coloração clara, aroma de coentro, laranja e limão, colarinho bem formado e um sabor que começa com toffee de limão e finaliza com uma doce e vigorosa nota de laranja, a Hoegaarden Original White une simplicidade e complexidade como poucas cervejas conseguem.

Comentários

Em uma palavra: refrescância.

Deixe de lado o estranhamento que o termo “coentro” possa causar à sua experiência sensorial, experimente a Hoegaarden Original White… e depois me conte se você ainda tem vontade de tomar caipirinha ou um picolé de limão quando estiver sob um sol escaldante.

Ah, e sobre aquele assunto da IPA que a gente tratou antes: a Witbier é uma ale pálida que surgiu de especiarias das Índias… quem é que merecia o título de India Pale Ale, mesmo?

Ein prosit!

Já conhece a Hoegaarden Original White? Ficou com vontade de conhecer, ou provou depois de ler nossa coluna? Tem dicas de lugares para encontrá-la, ou de alguma harmonização interessante? Não deixe de postar seu comentário neste nosso espaço de divulgação da cultura cervejeira.

HoegaardenE então, Que cerveja é essa?

Nome: Hoegaarden Original White

País de origem: Bélgica

Cervejaria: Brouwerij Hoegaarden (da AB InBev)

Estilo: Witbier

Álcool: 4,9% ABV

Harmonização: Saladas, bacon, sashimi de salmão.

Temperatura ideal: 5 – 7 °C

Copo: Tumbler

Média de preço: R$ 10 – 15

Onde encontrar: em delicatessens e supermercados que ofereçam cervejas especiais.

Gostou dela? Recomendo St. Bernardus Witbier e Vedett Extra White

Sommelier de Cervejas e Técnico Cervejeiro [ Ver todos os artigos ]

Comments

Be the first to comment on this article

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Go to TOP