Cinema 2008: uma lástima!

Tenho me informado sobre lançamentos de filmes neste ano e até agora não vi um sequer de valia. O menos ruim foi O Caçador de Pipas, de um tal Marc Loster. E se o parâmetro de qualidade é esse, a coisa realmente está complicada.

Entre outros descartáveis estão O Melhor Amigo da Noiva, Fim dos Tempos e Rambo 4 (ao contrário de Rocky 6, ficou horrível). Assisti e não vi nada de relevante sequer para comentário. O Gângster (Ridley Scott) é de razoável pra ruim. O divulgado Ponto de Vista (Pete Travis) é de ruim pra ruim.

A danação de filmes da Marvel também foi um fiasco. Homem de Ferro (Jon Favreau), O Quarteto Fantástico (Tim Story) foram filmados para fãs. Fraco mesmo para um filme de heróis. Indiana Jones já escrevi dos erros ridículos. Uma leitora comentou que por ser um blackbouster fica imune à rigidez das informações, mas trocar idioma e lugares de países, como de Peru pra México, é demais.

A surpresa ficou para a segunda filmagem de O Incrível Hulk, agora com Louis Leterrier. O cineasta superou, visivelmente, o experiente Ang Lee (vencedor do Oscar com O Segredo de Brokeback Moutain). Ainda assim, sem muito brilho.

Para completar o time dos descartáveis, As Crônicas de Nárnia (prefiro muito mais as de Serejo), Sex and the City (não vi e nem quero), Sweeney Todd (tecnicamente razoável, mas chatinho), Wall-E (um filme de robô), Arquivo X: Eu Quero Acreditar (eu também quero!) e Bond 22 (sim, ele voltou: Bond, James Bond).

O panorama nacional também não vai dos melhores. Assisti O Engenho de Zé Lins e também achei muito “marromeno”. Nada perto de Jogo de Cena (Eduardo.Coutinho), Baixio das Bestas (Cláudio Assis), A Casa de Alice (Chico Teixeira), Meu Nome Não é Johnny (Mauro Lima) e muitos outros que vi ano passado ou que foram lançados em 2007.

E também para citar outros excelentes filmes estrangeiros lançados em 2007 e até agora, pelo que sei, bem acima dos atuais: Juno (Jason Reitman), Sangue Negro (Paul Thomas Anderson), Piaf – Um Hino ao Amor (Olivier Dahan), Onde os Fracos Não Têm Vez (Os irmãos Coen) e o alemão A Vida dos Outros (Florian Henckel).

Caso esteja enganado, pelamordedeus me socorram e indiquem bons filmes produzidos este ano. Não quero passar batido. Sempre tem coisa boa pelos ares europeus, iranianos, argentinos, enfim. Se for bom, está valendo!

Acredito que música, literatura e esporte são ansiolíticos dos mais eficazes; que está na ralé, nos esquisitos e incompletos a faceta mais interessante da humanidade. [ Ver todos os artigos ]

Comments

Be the first to comment on this article
  1. dadecada 25 de Junho de 2008 12:40

    Depois da ressaca dos filmes do Oscar (os que você citou no último parágrafo e foram lançados todos antes de dezembro de 2007 na gringa), e com a temporada do verão americano bombando (todos esses filmes em cartaz) é realmente difícil esperar uma boa safra para agora. Mas, preciso dizer que Fim dos Tempos começou surpreendentemente bem a leva de bons/ótimos filmes de 2008. Se você economizar grana com duas sessões de arte (juro que já vi muita coisa boa, mas os piores de todos os tempos também vi na faixa das 15h) dá pra ver um puta filme de suspense do caralho que tem muito mais a dizer sobre o estado do cinema nos dias de hoje do que qualquer filmeco europeu. E sério que cê preferiu esse novo Hulk ao do Ang Lee? E não gosta das animações da Pixar (certeza que Wall-E vai ser mais uma mini-obra-prima, como o são Procurando Nemo e Ratatouille)? Vê o Fim dos Tempos, de boa. Foi o único filme de 2008 que eu vi que é digno de nota, uma nota acima de 9, por exemplo, numa escala de 0 a 10. E saco a pessoa comentar pela primeira vez no blog do cara e discordar de uma penca de coisas. 🙂

  2. Sérgio Vilar 25 de Junho de 2008 14:22

    Que nada. O bom é a controvérsia! (rs). Mas olha: esse Fim dos Tempos, confesso, não assisti. Mas li as críticas e foram quase que unânimes em desclassificar o filme. Além do que, imagino que não seja AQUELE filme para mudar sua vida. No máximo, um bom suspense.
    E eu que pergunto: você preferiu o Hulk de Ang Lee? Achei péssimo! Mas gosto é isso (rs). Quanto ao filme de robô, não me apetece muito. Ainda vi o Ratatoulle. Legalzinho, e talz. Mas é que me passa uma sensação que perdi meu tempo (rs).
    Ei, também tou achando um saco discordar das discordâncias. Vamos achar um ponto em comum!..rs

    Valeu!

  3. Cris 2 de Julho de 2008 21:12

    Bem, não tenho certeza se são deste ano, mas vi uns filmes recentes que considerei bons:
    – Apenas uma vez (Once): a história se passa na Irlanda e os atores são na verdade músicos profissionais. Mas é o tipo de filme que você ama ou odeia. Muita música, uma história de amor nada convencional. Uma “mocinha” simplesmente encantadora, pela autenticidade. Eu amei.
    – A vida secreta das palavras: O filme tem um título lindo, o que já me fez ficar doida pra assistir. O ritmo é um tanto lento, e no início você fica plagiando Renato Russo pensando assim: filme estranho, com gente esquisita… Mas depois vai entendendo. Achei um filme bonito.
    – Conduta de risco: você não entende os primeiros 30 minutos, mas depois, a despeito de alguns clichês, o filme te prende. Bastante.
    – Os falsificadores: não diria que é ótimo, mas é um filme interessante, que aborda um aspecto da segunda guerra que eu, particularmente, desconhecia. E o protagonista é muito bom.
    – O cheiro do ralo: este é nacional…não sei se você já fez algum comentário sobre ele; ao menos não fez neste post. Um filme muito legal, com o ótimo Selton Melo, no papel de um cara doente, doente de doido, que se apaixona por uma bunda. O olho que ele “adota” no filme é impagável.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Go to TOP