Cinemateca Potiguar exibe filme de graça a semana toda e com presença de Cláudio Assis

A Cinemateca Potiguar realizará, de hoje até 28 de agosto, no IFRN Cidade Alta, a mostra cinematográfica “Cine – É Proibido Cochilar”. O evento se dá em parceria com Representação Regional Nordeste do Ministério da Cultura e traz mais uma vez a Natal o cineasta Cláudio Assis.

O ‘Cine – é Proibido Cochilar’ acontece no espaço da Cinemateca, de segunda a sexta-feira, das 9h às 21h, com sessões gratuitas de curtas e longas-metragens nordestinos. Entre participantes da mostra estão ‘Febre do Rato’ do pernambucano Claudio Assis, e os potiguares, ‘O Voo Silenciado do Jucurutu’ de Jussara Queiroz e ‘Viva o Cinema Brasileiro’ de Buca Dantas.

Além da exibição de filmes, o projeto busca discutir com amantes e pesquisadores os novos caminhos da sétima arte. No sábado, a programação tem início às 14h30 com um bate papo com Cláudio Assis (Amarelo Manga e Febre do Rato), Roberto Azoubel (Representante Regional do MinC), e Milena Evangelista (Secretaria de Cultura de Pernambuco). Os três falam sobre o atual momento do cinema pernambucano e sobre o que é fazer cinema no Nordeste.

Já no domingo, a partir das 14h30, será exibido o filme Viva o Cinema Brasileiro, de Buca Dantas. Em seguida, o produtor cultural Cristiano Micussi; o cineasta, Fábio De Silva; e Nelson Marques, realizador e cineclubista, dialogam sobre a cena audiovisual do estado, há tempos em busca de estruturação.

A mostra é aberta ao público. A reserva de senhas para as sessões, pode ser feita na fanpage da Cinemateca Potiguar ou pelo telefone 4005-0987.

SERVIÇO
Cinemateca Potiguar promove a mostra “É Proibido Cochilar”
Onde: IFRN Cidade Alta;
Quando: de 17 à 23 de agosto;
Informações: Cinemateca Potiguar | 4005-0987

Jornalista por opção, Pai apaixonado. Adora macarrão com paçoca. Faz um molho de tomate supimpa. No boteco, na praia ou numa casinha de sapê, um Belchior, um McCartney e um reggaezin vão bem. Capricorniano com ascendência no cuscuz. Mergulha de cabeça, mas só depois de conhecer a fundura do lago. [ Ver todos os artigos ]

Comentários

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ao topo