Cinzas de Salónica

Irrompe um sol nu, a queimar,
na noite negra.

Invade o céu fúria de gás,
lavam teus pés fogo e lágrimas
gregas.

Comentários

Há 3 comentários para esta postagem
  1. Danclads Lins de Andrade 1 de outubro de 2011 12:28

    Um poema vulcânico!

  2. Jota Mombaça 29 de setembro de 2011 4:21

  3. José Saddock 28 de setembro de 2011 21:16

    Versos são imagens, esse é uma delas… Valeu!!!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ao topo