Clara lança remix de “Carga”, parceria com o produtor JF Santiago

Fotografia: Augusto Júnior

Continuando a mescla de música brasileira e tons eletrônicos, para trazer um olhar contemporâneo sobre a ancestralidade, a cantora potiguar Clara apresenta um remix da faixa “Carga”, assinado pelo DJ e produtor JF Santiago. A mensagem da música fica em primeiro plano com um lyric video assinado por Marina Mole.

Lançada no dia da abolição da escravatura (13 de maio), a faixa é uma provocação para o que é a liberdade e as consequências de séculos de opressão. A dualidade proposta por Clara da carga imposta sob o corpo negro e como isso é um peso a ser carregado por todos, hoje é uma das marcas da poética do EP “Volte e Pegue”, lançado pela artista em 2020 pelo selo Rizomarte Records.

Em “Carga” há uma brincadeira com as palavras que comentam  a ação de ver como uma tomada de consciência e a condição degradante de se ser escravizada. Uma afirmação de quão degradante, indigno, revoltante ser carga. O lyric vídeo intensifica a poética da artista, dando um caráter dinâmico de poesia visual ao texto. 

Ficha técnica

Marina Mole (Mole Enterprise)

Música por:

Voz: CLARA   

Letra:  CLARA e Poeta Kaju  

Produção musical, guitarra, beat, synth: JF Santiago

Scratch: DJ Samir

Gestão de Projeto e Produção Executiva: Carol Carvalho

Assessoria de Imprensa: Build Up Media

Selo Musical: Rizomarte Records

Realização: Dale! Produções Culturais

Clara ainda aparece com mais novidades esta semana, com o lançamento do álbum “Ao vivo na Casa da Ribeira”, gravado durante o Dosol Online 2020, lançado nas plataformas digitais do Dosol, dentro das comemorações de 20 anos do combo musical tocado por Ana Morena e Anderson Foca.

Volte e Pegue

O projeto do álbum “Volte e Pegue” foi realizado com uma campanha de financiamento coletivo com o apoio do Edital de Economia Criativa 2020 do Sebrae/RN. A produção musical foi de Zé Caxangá e Pedras.

Na sabedoria do povo Akaan da África Central, “Volte e Pegue” é a tradução de sankofa, trecho importante do provérbio ”não é tabu voltar para trás e recuperar o que você perdeu”. E é isso que Clara faz neste que é seu quinto trabalho de estúdio, mas sem perder o foco do presente e sobre o que significa ser mulher negra, mãe e periférica no Brasil atual.

“Pra mim é um novo momento que se inicia, principalmente porque esse trabalho é muito sobre mim, mas também sobre nós, que estamos nas periferias desse Brasil. É um disco que tem imagem, fecho os olhos e posso ver os vídeos de todas as músicas. Agora o foco é trabalhar para gravar clipes de outras músicas do EP Volte e Pegue”, conclui.

Este projeto é uma realização da Dale! Produções Culturais com recursos  da Lei Aldir Blanc Rio Grande do Norte, Fundação José Augusto, Governo do Estado do Rio Grande do Norte, Secretaria Especial da Cultura, Ministério do Turismo e Governo Federal.

Comentários

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ao topo