Clarice tinha razão

Acho que já contei essa história por aí. Mas, vale a pena repetir. Tem reverberado forte em minha mente (ou será intelecto?).

Numa conversa que eu tive com Sanderson Negreiros (quando eu estava preparando o livro “Bibliotecas Vivas do RN”), este importante e verdadeiro intelectual contou-me que uma vez indagara ao Dr. Esmeraldo Siqueira acerca de seu amor pela língua francesa e sua predileção francófila pela cultura, música, escritores, vinhos…

Algo mais ou menos assim aconteceu no debate travado:

– Dr. Esmeraldo, o Senhor, como amante das coisas da França que é, por que nunca foi a Paris?

Ao que o mestre do Atheneu teria respondido:

– Para quê, meu filho? Para voltar para Natal?

Reverbera. Reverbera. Reverbera.

Advogado público e escritor/poeta. Membro da Academia Norte-Rio-Grandense de Letras. [ Ver todos os artigos ]

ao topo