“Uma boa pessoa”, de Renata Marinho

Coisas ruins às vezes acontecem com pessoas boas.

eu sou uma pessoa boa.

claro que sou.

sou pai, trabalho.

sou esposo, homem de família.

dou meu sangue e suor por meu filho e minha mulher.

só peço pequenas coisas em troca.

peço que esqueçam da normalidade,

que esqueçam da tranquilidade,

que esqueçam da fidelidade.

 

sou uma boa pessoa.

sou pai, mas não trabalho.

sou esposo, homem de família.

não trabalho, mas minha mulher tem dinheiro,

e afinal qual problema de viver desse dinheiro?

tenho preguiça, gosto mais da boemia.

 

sou uma boa pessoa,

peço poucas coisas em troca.

peço que me acompanhem por aí,

meu filho e minha mulher.

peço que venham comigo pra boemia.

e afinal, qual o problema da boemia?

só peço que deixem o conforto e venham comigo.

não sei bem pra onde…

às vezes tudo é luxo, pessoas ricas, fartura.

às vezes tudo é miséria, lugar esquecido, violência permitida.

mas sou uma boa pessoa.

 

sou pai, mas não sou mais homem de família.

minha família não conseguiu me acompanhar,

minha família se machucou pelo que peço.

e não peço muito.

peço que entrem no inferno comigo,

e que deixem que o carregue para dentro de casa.

não preciso de energia, não preciso de comida.

 

sou uma pessoa, mas não sou mais tão boa pessoa.

 leso os meus próximos.

enganei minha mulher, ela me deixou.

enganei meus amigos, me aproveitei deles,

não tenho mais amigos.

não tenho dinheiro.

preciso de dinheiro.

preciso fazer algo para ter dinheiro.

trabalhar? não consigo trabalhar.

minhas noites são no inferno que busco.

meus dias são no inferno que busco.

tudo deixei, tudo troquei.

pela ilusão da cocaína ser outra coisa além do inferno em minha vida.

e pelo inferno vou de mãos dadas com minha amante,

a mulher de minha vida,

minha doce cocaína.

 

por ela não sou mais pai, não sou mais esposo, não sou mais boa pessoa

sou escravo da minha menina,meminha doce cocaína.

mas sempre acho que coisas ruins não deviam acontecer com pessoas boas…

 

Ilustração: Yann Kebbi

Acadêmica de artes visuais, com licenciatura em Artes ufrn e mestrado em Arte e pesquisa em história da fotografia. [ Ver todos os artigos ]

Comentários

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ao topo