Com Neguinho da Beija-Flor


Um dos artistas mais representativos do carnaval das escolas de samba carioca estará amanhã no palco do Teatro Alberto Maranhão, dentro do projeto Seis & Meia. Aos 60 anos, Neguinho da Beija-Flor traz na bagagem 34 anos à frente da Beija Flor de Nilópolis, 30 álbuns de samba gravados, prêmios de música como o Sharp e Estandarte de Ouro e um câncer no intestino do qual luta há mais de um ano. Os tempos são de superação e cautela. O dono da voz potente e rouca mais famosa do país pretende um show elaborado. E promete surpresas. Segundo o produtor do artista, João Santana, há possibilidade de os músicos prestarem homenagem a Wilson Simonal, com participação do cantor potiguar João Batista. João já gravou músicas de Simonal em outras oportunidades.

O grupo de samba Arquivo Vivo abrirá o show “com tudo o que há de mais velho”; sambas clássicos e autênticos, como sugere o nome do grupo originado nas Rocas. O Arquivo vivo tem se notabilizado nos últimos meses pelas parcerias no palco junto com bambas do gênero como Sombrinha e Almir Guineto, autor, entre outras, de Insensato destino. O Arquivo Vivo ficou conhecido nos sambas e chorinhos do Buraco da Catita e se tornou o mais promissor grupo de samba do Estado, com repertório tocado às quintas-feiras no Bar de Nazaré, Cidade Alta, além de shows continuados no Espaço do Samba, Caju Society e Sancho Pub. O repertório contempla músicas de Jorge Aragão, Cartola, Paulinho da Viola, Chico Buarque, Noel Rosa, João Nogueira, Paulo César Pinheiro, Roberto Ribeiro,Candeia, João Bosco, Nelson Cavaquinho, entre outros.

NEGUINHO DA BEIJA-FLOR

Diário de Natal – O que esperar de um show de samba na acústica do teatro?
Neguinho da Beija Flor – É o repertório que o povo já conhece. Ângela e outros sucessos. Tem Idéia fixa, que estou lançado agora… Vou com minha banda completa. Vai ficar bonito. Vamos procurar cantar o repertório que o povo gosta. E como é um teatro a coisa será mais elaborada.

Qual a diferença básica entre puxador de samba, sambista e pagodeiro?Não tem diferença. Esses são segmentos diferentes que se fundem. É o que faço. Canto todos os gêneros sem problema. O samba é uma coisa só. Basta acelerar um pouquinho o ritmo que o pagode vira samba enredo.

Essa quase religião do carioca com o samba e aquela espera angustiada pelo resultado das agremiações decorre de qual aspecto?
Sem dúvida. É desse jeito. É porque nascemos no berço da coisa. Já venho de família de músico. O samba já está enraizado na minha vida. Graças a deus posso dizer que vivo exclusivamente do samba.

O carnaval do próximo ano terá sabor especial para você em razão do câncer que você enfrenta?
Vai. É como se eu tivesse começando de novo. Nascendo novamente. Será minha reestreia: um carnaval da superação; da saúde renovada.

Projeto Seis & Meia
Quem: Neguinho da Beija Flor e Arquivo Vivo
Quando: amanhã, às 18h30
Onde: Teatro Alberto Maranhão, Ribeira
Quanto: R$ 10 (inteira) R$ 5 (para professor de Natal, estudante e idoso)
Vendas apenas no dia, a partir das 9h no TAM e às 10h na Potylivros do Praia Shopping

*Matéria publicada nesta segunda-feira no Diário de Natal

Acredito que música, literatura e esporte são ansiolíticos dos mais eficazes; que está na ralé, nos esquisitos e incompletos a faceta mais interessante da humanidade. [ Ver todos os artigos ]

Comments

Be the first to comment on this article

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Go to TOP