Como não começar um romance

Ôåäîð Ìèõàéëîâè÷ Äîñòîåâñêèé

Por Sérgio Rodrigues

As “franjinhas literárias” que foram tema do último post – aqueles emblemas de literariedade que nada mais são do que uma manifestação do mau e velho clichê…

aqui

Comentários

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ao topo