Como se tornar um escritor

Comentários

Há 3 comentários para esta postagem
  1. nina rizzi 13 de setembro de 2010 2:59

    ave maria, diabéisso, assim fico até religiosa. de ateia pra ateu, fico com o saramago: “pra escrever basta escrever”.

    beijos.

  2. Aline Patricia 13 de setembro de 2010 13:54

    Não duvidando da competência do Ruy Castro, mas creio que para ser escritor não há uma receita, não se pode aplicar a todo um público os mesmos passos e garantir resultado homogêneo. Não dá, é preciso ter traquejo pra coisa dar certo, como aquela história de nossas mães, tias e avós na cozinha, cada uma tem um “tempero” diferenciado, amor ou o que quer que seja. Falo, é claro, dos textos ficcionais, talvez a metodologia tenha sua validade em se tratando de biografias,visto que, como disse o autor, tal trabalho exige mais investigação e técnica do que o”talento” propriamente dito. Certa vez comentei com um amigo sobre uma resistência pessoal em me ver/dizer escritora. Respondeu-me: – o que há aí é um erro de visão. Escritor é, pois, todo aquele que escreve, sem distinções.” Méritos da escrita, qualidade textual e “talento” já são outros 500…

  3. Ednar Andrade 13 de setembro de 2010 16:09

    Então Nina, que diabéisso? … Como diria Oscar Wilde: “Para escrever só existem duas regras: ter algo a dizer e dizê-lo”. Beijos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ao topo