Comunicação de William Bonner e Patrícia Poeta à sociedade brasileira

A três quarteirões para a direita, Rafaela está desaparecendo: um Celta cor-de-prata ano 2000 no cruzamento da Bernardo Vieira com a Jaguarari seduz seu corpo mal formado. Hipopótamos famintos desafiam a linearidade do horário nobre. Depois para amenizar: picos paralisantes, o slogan: entorpecei vossas criancinhas para que, quando no holocausto dos seus sonhos, elas não sintam nada. A âncora sorri. Pólo nuclear de Goianinha inicia as atividades. Chernobyl sob os meus tênis. A três quarteirões para a direita, Rafaela está desaparecendo. Depois para amenizar: VIVA O MONSTRO DO REALENGO! Leila Diniz explode num desastre de avião. Embora tenha um roteweiller estraçalhando-lhe a perna, no plano americano, a moça do tempo sorri. Embora silente, a moça nua que assiste o palco demonstra euforia diante da câmera. Dois aviões contra meu copo. Obama disse: estamos de pé sobre o nada. Depois para amenizar: soutiens, televisões, chaves de fenda. O milagre publicitário através da sua antena paregórica. Sua mãe está paranóica. Seu pai está morto por dentro. Embora tenha arrematado três tiros de pó, o velho locutor simula placidez e calma. Depois para amenizar: A três quarteirões para a direita, Rafaela está desaparecendo. Ouve-se gritando seu nome uma voz resignada. A âncora demonstra preocupação. Cenas de Ana Maria Braga num link direto de dentro de um tanque de guerra nas microditaduras cariocas. O papagaio faz anúncio esdrúxulo: Bin Laden não existiu. No epicentro de uma avenida fantasma, dois olhos dentados rangem ditados sutilmente e sutilmente os automóveis. Depois para amenizar: de um ecstasyático infarto fulminante no transe engavetado da avenida senador salgado filho às seis e meia, morre dinossauro da cultura potiguar. Meu coração está carcomido a Krokodil. Depois para amenizar: Governo da Califórnia lança campanha que apela ao autozelo estético do seu povo contra o crescente vício em Matanfetamina. Os viciados, conforme o hiperrealismo das fotografias, ficam magros de pele e osso, olhos muito arregalados e manchas poeirentas no rosto. Depois para amenizar: Por favor! esqueça aquela palavra consoladora que eu lhe disse! esqueça antes que arranquem-na do seu pensamento e a esvaziem! Depois de Auschwitz e Hiroshima é tudo uma questão de sobrevivencialismo. Rafaela está desaparecendo. O âncora deseja ardentemente o Valium que tem na bolsa. Deus queira que morramos logo! Boa Noite

Comentários

There is 1 comment for this article
  1. Johnny Cavia 19 de dezembro de 2011 8:05

    Mombaça! O homem-momba(apud alguem que esqueço)
    Daqui do meu cantinho lhe saúdo e lhe aplaudo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ao topo