Continua perseguição à jornalista

Por Carlos Santos
Blog do Carlos Santos

Mais duas citações judiciais chegaram hoje à porta do meu moquiço. Ainda estão “quentinhas”.

Adivinhe quem são os autores?

Dou-lhe uma, dou-lhe duas, dou-lhe três…

Se você pensou o prefeito de fato e a prefeita de direito de Mossoró, acertou em cheio. Eles mesmos, os manos Gustavo Rosado (PV) e Fátima Rosado (DEM).

“A ordem dos fatores… (sic)”, não altera o produto, como diria a própria Fátima, que balbuciou parte desse conceito na segunda (12), durante audiência na Justiça Especial Criminal. Tratávamos de quatro queixas-crimes contra o editor deste Blog, movidos por ela.

Agora, como de sempre, querem empalmar R$ 10 mil cada um por “danos morais” “danos psíquicos” que teriam sido causados por matérias nesta página.

De antemão, reitero o agradecimento pelo prestígio de tê-los, diariamente, em sucessivos acessos à boa leitura, mesmo que se queixem de efeitos colaterais.

Na petição inicial produzida por Gustavo, ele resmunga e pede punição contra Carlos Santos, por tratá-lo por “agitador cultural”, “arrogante e à sua facção por “patota”.

Mais uma vez tenta ensinar o vernáculo à Justiça, de forma pontual, dissimulada e perniciosa, manipulando palavras polissêmicas, depois de folhear o Aurélio.

No final dos anos 80, puxado por setores da esquerda festiva de Mossoró, que lutava por um teatro para a cidade, Gustavo era tratado por “agitador cultural”. Àquela época era pomposo, hoje é depreciativo ser agitador?

Sem charme

Vinícius de Moraes e Toquinho, em estilo Bossa Nova, produziram a música “Patota de Ipanema”, um clássico do gênero. Em Mossoró, realmente ser da patota não tem charme.

Opinar, como é do exercício jornalístico, posto na Constituição, é ofensivo? Elogiar, pode? Ou melhor, obriga-se. Paga-se?

Deve ser estranho à sociedade e à Justiça, a abundância de oba-oba em torno do agente público na imprensa, nunca a crítica.

A matéria que fez Gustavo entrar em erupção foi essa: “Governo de Fafá não consegue juntar cacos do PSL” AQUI.

Quanto à ação de Fátima, nada diferente. Também tenta impedir a informação, a opinião e intimidar. Elogiar pode. Tratá-la por inteligente, preparada, articulada e oradora elouquente, pode. Deve-se. Paga-se?

Na postagem a “Seguidora de Rosalba teme que sucessora acabe com tudo” (Veja AQUI, ela transforma o editor num celerado.

Chama a atenção, que a mesma matéria é objeto de outro processo movido pela prefeita de direito, na esfera criminal. Uma “queixa-crime”.

Fica provado que a estratégia é fazer volume, empilhar ações judiciais e tentar a todo custo impedir a defesa pela quantidade. Bobagem.

Como já dito e repetido em outras vezes: fiquem à vontade. Aproveitem.

O prazo de validade está perto de vencer. Vocês só têm até o dia 31 de dezembro de 2012 com essa brincadeirinha circense. Depois, a volta à realidade.

Nota do Blog – Como as “vuvuzelas” africanas, esse tipo de gente faz muito barulho, parece onipresente e pensa ser estrela.

Lá adiante vão descobrir que no fundo são chatas e babacas, apesar de engraçadas em sua pose de poderosos de ocasião. É a vida.

Tudo passa!

Comentários

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ao topo