Conto, poesia e HQ em lançamento triplo nesta quinta pela Jovens Escribas

Na quinta-feira, a Editora Jovens Escribas promoverá um lançamento triplo e festivo. A contista Beatriz Madruga nos brindará com novo livro, “Em fim, nós”. Aproveitando a oportunidade, o poeta revelação da editora, decristo, relança seu novo trabalho “Tons de Amar-ela”. E, de passagem pelo Brasil para promover sua nova Graphic Novel, o premiado quadrinista brasileiro radicado em Barcelona, Marcello Quintanilha, estará em Natal para também autografar os álbuns: “Hinário Nacional”, “Tungstênio” e “Talco de vidro” .

“Em fim, nós”
A qualidade dos contos de Beatriz Madruga impressiona e as histórias que ela entrega neste segundo trabalho são arrebatadoras. Contos que nos narram de forma magistral vários encontros, desencontros e reencontros. Amores que quase deram certo. Ou que deram certo por um tempo. As narrativas de Bia nos trazem diversos “felizes para sempre” em suspenso, que poderiam ter sido, mas não foram. Há de tudo um pouco: uma visita à casa de Neruda, o recolhimento das coisas após um final, tentativas de recomeços de relações que terminaram mal. Há também a beleza da persistência, das novas tentativas de pessoas que nunca dariam certo juntas, mas que querem estar juntas mesmo assim. Destaque para o conto “Hugo e Heloísa”, uma história de amor e distanciamento. Boa parte dos contos que compõem este livro de Beatriz Madruga foi escrita após uma oficina de escrita criativa com o autor Daniel Galera, na AÇÃO LEITURA 2013. A arte da capa ficou a cargo do ilustrador paraibano Shiko.

Sobre a autora:
Beatriz Madruga nasceu em Natal (RN) em 1990. É Psicóloga e estuda Letras. Lançou em 2015 o seu primeiro livro de contos: “Aos pedaços, com tudo”. Este “Em fim, nós” é o seu segundo trabalho.

Marcello Quintanilha
Nascido em Niterói, em 1971, Marcello Quintanilha trabalhou como ilustrador e animador em diversas empresas até publicar “Fealdade de Fabiano Gorilla” em 1999, sua primeira graphic novel. Naquele ano, durante a primeira edição do Festival Internacional de Quadrinhos de Belo Horizonte, conheceu o francês François Boucq, que se interessou pelo seu trabalho e convenceu-o a enviar seus desenhos para editoras europeias. Em 2003, publicou La promesse (A promessa), primeiro volume da série Sept balles pour Oxford (Sete balas para Oxford), pela editora belga Le Lombard, com roteiro do argentino Jorge Zentner e do espanhol Montecarlo.

O contrato com a editora belga levou Quintanilha a mudar-se para Barcelona, para ficar mais próximo dos roteiristas da série. Passou a publicar também ilustrações nos jornais espanhóis El País e Vanguardia. Ao mesmo tempo, continuou produzindo álbuns para o público brasileiro. Em 2005, publicou Salvador, na coleção Cidades Ilustradas da editora Casa 21. Seguiram-se Sábado dos meus amores (2009, troféu HQ Mix de melhor desenhista nacional) e Almas públicas (2011). Em 2014, 2015 e 2016, pela Editora Veneta, lançou respectivamente “Tungstênio”, “Talco de Vidro” e agora “Hinário Nacional”, todos estarão sendo autografados em Natal na quinta, dia 09 de junho.

Marcello Quintanilha é considerado o grande cronista dos quadrinhos brasileiros. Conquistou público e crítica com suas histórias sobre tipos cotidianos como jogadores de futebol, motoristas de lotação e jovens apaixonados do subúrbio carioca. O álbum “Tungstênio”, no qual o autor desloca seu olhar para Salvador e acrescenta à sua galeria de grandes personagens do cotidiano brasileiro policiais, traficantes e moças de coração partido, lhe valeu o prêmio de melhor HQ Policial no Festival de Quadrinhos de Angoulême deste ano, o mais importante do mercado europeu. A publicação também foi considerada a melhor de quadrinhos em 2014 pelos jornais Estado de S. Paulo e O Globo. Já em “Talco de Vidro”, lançado originalmente no Salão do Livro de Paris, o autor cria um thriller psicológico a partir da crise existencial de Rosângela, uma dentista de Niterói, bem casada, que afunda em uma espiral de autodestruição até a beira da imoralidade e do crime.

O novo trabalho do autor, “Hinário Nacional”, é uma reunião de histórias que se entrelaçam sutilmente, envolvendo diversos personagens. De pequenas tristezas a grandes dramas, tudo vivido silenciosamente. Alguém que se resigna com o fato de ter sido vítima de abuso sexual, e outro que oculta um dilacerante sentimento de culpa por ter abusado sexualmente. A tristeza de um homem com a velhice e o desbotamento das histórias de amor. O desejo de esquecer o sofrimento, de esquecer o que se fez, de ser o que não é.

Tons de Amar-Ela. – decristo
O autor decristo, como assina seus poemas, ou Marcelo de Cristo, como é conhecido por seus alunos de línguas, sempre foi um grande leitor de poesia. Como tantos e sua geração, encontrou em Paulo Leminski uma fonte inesgotável de inspiração e prazer pela leitura. Quando começou a publicar seus escritos através do Facebook, percebeu uma ótima receptividade e passou a atrair a atenção de leitores de seus escritos. Publicou em 2015 o livro de estreia “Tons de ver-te”. Agora, em 2016, ele segue sua carreira literária com mais uma bela e grata surpresa, o novo “Tons de Amar-ela”.

Sobre o autor:
Sobre decristo, o poeta Carito declarou: “sou muito suspeito para falar sobre a poesia de
marcelo de cristo, pois somos feitos da mesma matéria – assim como prantos outros poetas, nossa poesia mora do lado esquerdo do feito! aqui a matéria prima nem sempre rima, nem sempre apruma, mas vem de ruma – uma ruma de rumos! mais que aprumar ela há pro mar! o mar dos corações e suas traduções à fé da letra!”

Serviço:
Lançamento dos livros “Os corvos chegaram para jantar” (Pablo Capistrano) e “Fome” (Márcio Benjamin).
Local: Nalva Café Salão, Av. Duque de Caxias, 110, Ribeira.
Data: 09 de junho de 2016 (quinta-feira)
Hora: A partir das 19h

Comentários

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

nove − seis =

ao topo