Conversa com Flávio Guimarães

Há pouco tive a oportunidade de conversar (pelo celular) com o gaitista e cantor Flávio Guimarães, um dos maiores músicos brasileiros e um dos pioneiros do blues no país. Flávio se apresenta hoje à noite, a partir das 22 horas, no Natal Blues Festival, evento que ocorre em nova edição, desde ontem, no Sgt. Peppers de Ponta Negra, antigo Budda Pub. O Festival se estenderá até amanhã, com novos espetáculos.

Principal referência da gaita diatônica no Brasil, Flávio Guimarães se apresentará nesta noite acompanhado da The Blue Mountain, uma boa banda natalense com quem já tem um vínculo estreito há alguns anos.

Por sinal, Flávio tem sido frequente nas vindas a Natal, o que só denota seu apreço pela cidade. Esteve aqui noutras épocas e, mais recentemente, no ano passado. Em abril já retornará para tocar num outro festival. Dessa feita será com sua banda “Blues Etílicos” (que no Brasil é a maior do gênero). Está programada, também com ele, uma oficina em que falará sobre sua carreira e em que dará alguns toques sobre a gaita diatônica, teoria musical, escalas, técnicas, postura, embocadura, etc. Afirma, com simpatia: “…gostaria que participassem da oficina todos os interessados, não somente músicos iniciados e com estrada.”

Por sinal, fala-me que a cena do blues, gênero e manifestação cultural “afro-americana”, conforme frisa, popularizou-se muito em Natal, lugar em que quase não havia acontecimentos em torno desse gênero, até bem pouco tempo atrás. Eventos como este de hoje e o que virá em abril próximo mostram exatamente o contrário, tornando Natal uma das capitais onde mais se cultua esse tipo especial de música.

Sobre a gaita diatônica, seu instrumento de afeição e de profissão, afirma que é cada vez mais difundida e que recentemente chegou uma nova fábrica ao Brasil, a Bends, configurando um grande crescimento nessa área. “Não é a toa que uma empresa estrangeira faz um investimento como esse no Brasil. O mercado está em expansão.”

O show de hoje à noite faz parte, também, da turnê de Flávio Guimarães para lançamento de seu novo CD “The Blues Folows Me” (2009), que é uma homenagem, um tributo, ao seminal Little Walter. Flávio sugere, em nossa conversa, que eu divulgue ao público leitor a possibilidade de livre acesso a http://www.youtube.com/flavioharmonica, onde se pode assistir a uma infinidade de vídeos em que canta e toca, amplamente democratizados pela rede mundial de computadores.

Por sinal, Flávio guarda uma relação realista com a internet: “O cenário é confuso, mas não há como negar que a mudança já aconteceu. É inevitável. Os mais velhos ainda curtem um CD ou mesmo um LP, um vinil, que têm recursos fantásticos. Mas a maior parte do pessoal já está baixando música na internet. Isso nos traz vantagens e desvantagens. A grande desvantagem é que nos tira (aos músicos) uma fonte de renda, reforçando a necessidade de mais shows e apresentações. A vantagem principal é que o que fazemos passa a ser conhecido e consumido mais rápido e por uma maior quantidade de pessoas.”

Advogado público e escritor/poeta. Membro da Academia Norte-Rio-Grandense de Letras. [ Ver todos os artigos ]

ao topo