Cultura, nacionalismo e blá, blá, blá…

“Alejo Carpentier acreditava que a grande tarefa do romancista americano seria inscrever a fisionomia das suas cidades na literatura universal, esquecendo-se dos tipicismos e costumes. Isso é o mesmo que tomar o partido de uma literatura urbana, negando espaço aos regionalismos.” RONALDO CORREIA DE BRITO

aqui

ao topo