Da estupidez humana

Dialogando com o amigo Gustavo:

Trata-se de um tema bastante pertinente que afeta a todos nós. Uns menos que outros.

A estupidez humana não tem limites e independe diretamente de um fator específico. Não é linear o fenômeno
Essa estupidez é alimentada por outras não menos estúpidas.

É um não sei quê de trocar afabilidades e mimos que alimentam a mediocridade, digo, a estupidez que dá náuseas.
Fiquei interessado por esse livro indicado por você, Gustavo, e conheço alguns correlatos. Como exemplo, a “Enciclopédia da Ignorância” do Duncan & Weston Smith (org.).

Pior ainda, amigo Gustavo, é quando essa estupidez se coloca não condição de júri. Na condição de juiz do fazer alheio, etc.

Tenho na dimensão do que sou a escala da minha estupidez.

Nada mais perigoso que um livro não mão de um estúpido.

O ensino superior infelizmente não faz milagres e pode produzir tiramos com diversos cursos universitários, vomitando o que não soube assimilar. Infernizando a vida de professores. Agredindo.

Físico, poeta e professor [ Ver todos os artigos ]

Comentários

Há 3 comentários para esta postagem

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

quinze + 8 =

ao topo