Da Masturbação

Ilustração: Salvador Dali

“ Cheguei a pensar que a masturbação fosse o único grande hábito, a necessidade primitiva.” Sigmund Freud

Durante muito tempo a masturbação foi considerada um ato transgressor. A causa de muitas loucuras e responsável por muitos males que atacam o homem e a mulher que com seu “ gaude mihi” reclamava um prazer negado e era considerado o desprezo do homem. O grande demiurgo da história de um sexo maldito foi o médico Samuel Auguste David André Tissot. Os livros de Tissot ( 1760 – 1824) sobre os segredos de Onã eram lidos como uma bíblia e despertavam os velhos demônios inibidores de uma sexualidade livre e sem culpa. Tissot escreveu “Avis au peuple sur la” ( Conselhos ao povo sobre a saúde) e sua continuação Essai sur lês maladies dês gens du monde ( Ensaios sobre as doenças das pessoas comuns), além de ”De la santé des gens de lettres” ( Da saúde dos homens de letras). Sua autoridade não se restringia à população em geral com também aos literatos da estatura de um Russeau e Voltaire.

A crença de que o homem perdia o espírito vital quando desperdiçava o sêmen remonta ao médico Galeno (~129- 200) nos primórdios da era cristã/ castradora. O espermatozóide descoberto pelo microscopista holandês Leeuweehoek (1632-1723) era para gerar a vida,

A masturbação era considerado algo anti-natural, matava o amor e podia levar ao extermínio da humanidade.

E Tissot pintava um quadro horripilante desse prazer que vem da imaginação, Que enfraquece todas as faculdades da alma. Provoca até mesmo a morte.

O onanismo (siririca, punheta) era também associado ás classes menos favorecidas. Mais praticada no sul que no norte (Fournier, 1893). Esse discurso castrador e moralizante prevaleceu até os nossos dias e foi um triunfo de um discurso burguês. Jean-Claude Guillebaud escreve o ótimo livro La Tyrannie du Plaisir. ( Éditions Du Seuil 1998). A masturbação é muito grave porque ela é contra a natureza. Da natureza é o coito.

Para evitar que os homens tocassem seus genitais e praticasse a masturbação foram inventados inúmeros aparelhos anti-masturbatórios. Verdadeiros instrumentos de torturas As mulheres tríbades ou frictrices tinham nos seus clitóris uma fonte de prazer transgressora e não era raiva do amor nem do homem.

A masturbação é uma ótima forma de obter prazer. Sozinho ou a dois. Gostoso se masturbar mutuamente o homem e mulher. E pensar quanto esperma eu guardei para preservar a vida. E pensar no sentimento de culpa das vezes que gozei sozinho.

A humanidade e sua moral. A humanidade e seu discurso burguês fizeram muito mal ao homem que ficou louco tentando esconder o que é parte da vida. Da alegria.

Hoje está provado que masturbar-se faz bem para o corpo. Para a saúde. Para a vida.

A literatura é fértil na descrição de práticas masturbatórias e na prisão muitos escritores se acariciaram até a morte (Moravagine – Cendrars em o “Elogio da Masturbação” Philippe Brenot)

Físico, poeta e professor [ Ver todos os artigos ]

Comentários

Há 7 comentários para esta postagem

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

4 × cinco =

ao topo