Da olimpíada ao golpe, o show não pode parar

A Olimpíada acabou e eu não me dei conta. Ainda bem porque já bastam o Pokemon e as séries para sentir-me igual a um ET, por fora das melhoras conversas, sem ninguém para falar de como é bom “O homem que amava os cachorros”, de Leonardo Padura. Mas quem danado lê hoje em dia, tenho pra mim que vão acabar internando a força esses recalcitrantes que insistem nessa coisa esquisita.

Não sei quantas horas o evento teve. Mas eu mesmo só assisti os 30 minutos da prorrogação e os pênaltis contra a Alemanha. No sábado, trabalhei e só olhei os jornais à tarde, quando já ia começar a prorrogação. Ganhamos graças ao goleiro que treinou no América, onde aprendeu os segredos da profissão.

As solenidades de abertura e encerramento, que tiveram repercussão, vi pedaços nos telejornais. Gostei do pouco que vi. Na cerimônia de abertura, confesso que nutri certa ansiedade sobre a recepção ao vice que virou titular à força. Não me decepcionei. Foi à altura. Traumatizado e com medo de vaias maiores ele passou longe do encerramento. A história não costuma ser complacente com traidores e usurpadores.

O resto fui me informando pelo pessoal da redação, uma notícia aqui e outra ali. Não entrei no clima, se é que algum dia eu tenha entrado em algum clima olímpico. A cobertura melosa da Globo também não ajudou a me animar. Purgante mesmo só tomei à força na infância, o mais terrível, sem dúvida, a colher de sumo de limão com algumas gotas de querosene, para aliviar gripes e rouquidão. Escapei, como vocês podem atestar!

Da cobertura melosa à golpista, em ritmo de corrida de 100 metros, o que não pode faltar é emoção e certeza de que o golpe resultará em um novo país governado por homens probos e voltado para os menos favorecidos, coisa que o PMDB saber fazer bem demais, tanto que as verbas para a seca já estão no RN com Henrique e Garibaldi.

Os sinais de que o país melhora a cada dia, segundo a mídia hegemônica, estão por toda parte. Palmas, senhores e senhoras. Também, com tantas e boas medidas em favor dos trabalhadores, das mulheres, dos estudantes, dos pobres, seria muita ingratidão não reconhecer quão generoso e justo tem sido o novo velho governo.

Eu já botei minha viola no saco e vou seguir o conselho de um amigo, que me respondeu a um post no Face sobre a capacidade, lisura e boas intenções do temerário: “Deixe o homem trabalhar”. Então tá, e que deus tenha pena dos nossos couros.

Comentários

There is 1 comment for this article
  1. Luis Sávio Dantas 24 de agosto de 2016 20:22

    Na verdade o golpe tem seus lances sensacionais, talvez maiores do que os das olimpíadas. Agora mesmo o ministro Gilmar Mendes, fez declarações pesadas contra setores da operação Lava jato, que nós simples mortais não alcançamos. P. ex, o que ele quis dizer com o velho jargão ” o cemitério está cheio de heróis ? ….. Vamos ver se os juízes não se intimidam, e mostram à nação brasileira que estão certos. ! Eles não podem deixar que palavras tão virulentas fiquem sem respostas efetiva, que é o prosseguimento da Lava jato, e principalmente a homologação da delação do empresário “Léo Pinheiro”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ao topo