Das convenções

Para José Helmut Cândido

A vida é … Muitas vezes o que é não parece
O poeta nem sempre escreve um livro. Vive a poesia.
Pode não ser antologizado, ou entrar na classificação dos “entendidos”. Poesia é vida. A poesia é vivida. Gozada.

“a essência se oculta por detrás de si”

Poeta busca o tempo perdido
A idéia da dor
A mentira do amor
Platão sonhador.

Poesia não é brincadeira.
Muitas vezes não está nos livros
Vaguei, vaguei. E não encontrei o verso
é a regra.
(Quase sempre não se pode entrar).

“Ela finge que me ama e eu finjo que acredito”

Mente. Mente. Quem disser que não naufragou.
A vida é passatempo dos imbecis.
Que finge que não brochou.

O poeta vive a poesia em estado bruto
Não finge
Sabe escapar das musas.

Devolvi a aliança
Devolvo a você, amigo.
As tardes. As sombras
O assombro do divino
Do verso teu traguei
Prometeu Acorrentado
De vísceras dadas aos sanguessugas
Que chupam
Copiam
E se fingem poeta.

Poeta, sim, foi você!

Corajoso viveu sem muro.
Peripatético foi (filósofo).

Físico, poeta e professor [ Ver todos os artigos ]

Comentários

Há 6 comentários para esta postagem
  1. Danclads Andrade 15 de fevereiro de 2014 20:16

    A poesia é vida e é por isso, caro Da Mata, que não podemos tolher a poesia, porque tolheríamos a vida. Corretíssimo estás. Coitados dos que querem por regras, normas a algo vivo, como a poesia.

    Abraço, Da Mata!

  2. Marcos Silva 15 de fevereiro de 2014 15:10

    João, o comentário que mandei reproduz (com breves recortes) o de Maria Bacci, que considerei um poema.

  3. DAMATA 15 de fevereiro de 2014 14:29

    Verdade Maria Bacci, Ednar e Marcos Silva. Voces captaram a mensagem. Quem dicide o que é poesia muitas vezes não é quem antologiza. Trat-a-se no presente caso de alguem que viveu em estado de poesia. E como em tantos outros casos fica escondido nessa selva de mediocridade

  4. Marcos Silva 15 de fevereiro de 2014 9:09

    a poesia
    se vive profundamente
    sem barreiras
    crua e nua
    sentida
    amada
    delirada
    muito além
    não tem tempo nem lugar

    poetas são almas errantes

  5. Maria Bacci 14 de fevereiro de 2014 17:39

    A poesia, é algo que se vive profundamente,sem barreiras,crua e nua,sentida amada delirada é algo muito além,não tem tempo, nem lugar,acho que Helmut,viveu isso,os poetas são almas errantes

  6. Ednar Andrade 14 de fevereiro de 2014 17:21

    Poesia é vida. A poesia é vivida. Gozada.

    E vísceras.

    Fazer poesia é como vomitar, abrir o coração e deixar tudo sair.

    (Ednar Andrade)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ao topo