Das listas de Humberto Eco

Entrevista do semioticista, julgado chatíssimo por muitos estudantes de jornalismo, Humberto Eco, a um carinha chamado Spiegel, que desconheço mas que fez uma belíssima entrevista com o escritor italiano.

Spiegel: Você inclui uma lista simpática feita pelo filósofo francês Roland Barthes em seu novo livro, “A Vertigem das Listas”. Ele lista as coisas de que mais gosta e as coisas de que não gosta. Ele adora salada, canela, queijo e especiarias. Ele não gosta de motoqueiros, mulheres com calças compridas, gerânios, morangos e cravo [instrumento musical]. E você?
Eco: Eu seria um tolo se respondesse a isso; estaria me fechando numa definição. Eu era fascinado por Stendhal aos 13 e por Thomas Mann aos 15 e, aos 16, eu adorava Chopin. Então passei a minha vida inteira tentando conhecer o resto. Agora, Chopin está no topo novamente. Se você interage com as coisas em sua vida, tudo muda constantemente. E se nada muda, você é um idiota.

OBS: Trecho dedicado às listas provisórias de Moacy Cirne (portanto, foge da classificação de idiota, segundo o conceito de Eco), e a François Silvestre, que abomina as listas, assim como Humberto Eco.

Acredito que música, literatura e esporte são ansiolíticos dos mais eficazes; que está na ralé, nos esquisitos e incompletos a faceta mais interessante da humanidade. [ Ver todos os artigos ]

Comments

Be the first to comment on this article
  1. Moacy Cirne 19 de Novembro de 2009 13:45

    Grato, meu caro,
    pela citação.

    Um abraço.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Go to TOP