De Francisco Brennand, sobre “Geodésica do Olimpo”:

Prezado Fernando Monteiro,

Perfeitos: o título, a ilustração e o poema. “Geodésica do Olimpo” é uma obra-prima. Sim, “feita de beleza extrema e cálculo”.

Escuta-se no decorrer da leitura o uivo do vento e a letra “v” percorre todo o poema como uma rima interna, repetida onze vezes como um grito. Deveria ter sido gravado na pedra.

Ontem, parei de pintar para ler o romance “Jakob von Guten”, de Robert Walser. Outra contundente obra-prima. Curioso como a sua vida se parece com o que escreveu.

Compreendo, ainda melhor, os comentários do escritor sobre o quadro de Van Gogh.

A leitura de Walser nos leva, de imediato, a cultivar o silêncio e a não significar.

Abraço do amigo,

Francisco Brennand

Comentários

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ao topo