De errinhos

Caríssimo mestre João da Mata,

Li o seu texto sobre o encontro de escritores. Achei respeitoso, apesar de não ter compreendido qual é a sugestão de correção que me faz. É que o seu texto está um pouco truncado, caótico. Talvez pela formatação efetuada automaticamente pelo blog.

De qualquer sorte, vejo um avanço na crítica. Sinal de honestidade intelectual.

Agora, peço um grande favor, corrija a informação quanto à autoria das palavras que encimaram seu texto. “Sirvo/a palavra/que me serve” são palavras minhas e não de Cascudo. Estão, como poema mínimo, no meu livro “Telha Crua”, editado pelo Sebo Vermelho, em 2005 .

Não fico chateado. Fico honrado pela co-autoria com Cascudo. rsrsrs. Mas, por favor, corrija o equívoco e ficarei em paz. Afinal, “essas falhas acontecem com os melhores escritores”.

Por sinal, caríssimo João, estou acompanhando a edição virtual (aqui no SPlural) de suas obras completas.

Abraço amistoso.

Advogado público e escritor/poeta. Membro da Academia Norte-Rio-Grandense de Letras. [ Ver todos os artigos ]

Comentários

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ao topo