De Rodrigues Neto na Tribuna

Sem querer opinar e já opinando: achei muito boa a matéria do colega Isaac Lira na Tribuna do Norte – uma geral da administração da Funcarte este ano, com vários aspectos abordados e sem muito oba-oba. Até acrescento uma observação que me foi dita na última conversa com Rodrigues Neto na quinta-feira: “Tento entrar em contato com César e não consigo. Parece que está fazendo questão de dificultar as coisas”. Mas quero corrigir ou destrinchar melhor a situação da revista Ginga, descrita na matéria a partir da voz do novo presidente. Talvez pela dificuldade em falar com o antigo presida, as informações dadas por Rodrigues tenham sido equivocadas.

Ao contrário do que falou, o nome da revista foi divulgado, sim. Não pela Funcarte, mas com autorização da Funcarte. Perguntei a César Revorêdo se eu podia colocar a novidade da escolha do nome em minha coluna no DN. A partir daí, a notícia foi replicada em blogues. Portanto, não foi “boato”, como Rodrigues citou. A outra questão: “A revista estava pronta, mas não tínhamos verba para imprimir e distribuir”. Bom, me foi pedido um currículo de cinco linhas, como também do editor-assistente, para anexar na documentação para liberação da verba. O empenho da grana já havia sido feito. Assim me foi informado.

No mais, é triste acompanhar neste fim de campeonato de 2009 a mídia estampar em suas manchetes notícias tão desanimadoras. Não é intriga, não é pessoal. Se ouve a fonte primordial do problema e nada de bom é relatado. Que em 2010 tenhamos um papai noel mais alegre. Por hora, como disse Mário Ivo no microblogue, só dá para acreditar nos duendes dos nosso canteiros, abençoados por anjos vermelhos e sob o sol maconheiro.

Acredito que música, literatura e esporte são ansiolíticos dos mais eficazes; que está na ralé, nos esquisitos e incompletos a faceta mais interessante da humanidade. [ Ver todos os artigos ]

Comments

Be the first to comment on this article
  1. rodrigues 28 de Novembro de 2009 2:14

    Caro Sérgio,
    não tenho me negado a conversar contigo sobre o lançamento da revista da Funcarte,independente do nome que venha a ter.
    Explico, explico e explico… Mas, parece que no desejo em lançá-la de qualquer forma você não faz questão em ouvir e me faz acusações. Quer lançá-la sem saber quando teremos dinheiro para pagar os colaboradores, fotógrafos e todo o expediente. Desafio:
    Quer junto a Capitania assumir as dívidas junto aos fornecedores?
    Quer dividir as responsabilidades na hora das cobranças?
    Vamos usar o bom senso, vamos ser razuáveis, vamos acalmar os egos,
    as vaidades “pseudo-intelectuais”, vamos ser coerentes e éticos… Apelo Sérgio para sua sensibilidade de um profissional sério e que tem credibilidade junto a categoria, em falar a verdade e acabar com estas especulações um tanto depreciativas a minha pessoa. Mas, se acha que este é o caminho, a forma correta de agir; lamento. Persista em seus ataques alusivos a mim e adminsitração da funcarte, sem esquecer que o Universo é maior que todos nós e as consequências do “kotodama” são nefastas. Acredite!Você é jovem, talentoso, mas, não se deixe levar pela impetuosidade da emoção efêmera. Do contrário, siga seu caminho, sabendo que sempre contará com o meu respeito.
    Abraços.
    Rodrigues Neto, (decepcionado)
    Presidente da Funcarte

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Go to TOP