De Sheyla Azevedo

Moacy Cirne pescou e eu ponho à mesa para outras degustações. Merece. É poesia-sentimento da jornalista Sheyla Azevedo:

“Há quem diga que a escultura já existe,
adormecida, na pedra bruta.
Será que com os sentimentos é assim?”

Comentários

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ao topo