Deixem a cultura em paz

O vereador Júlio Protásio (foto) enviou longa carta à jornalista Eliana Lima (aqui). Foi ela quem divulgou o mirabolante projeto de mudar o nome da rua dos Tororós, situado num dos bairros mais tradicionais da cidade. Acreditem: o vereador se diz comprometido com a cultura… Agora, vocês imaginem se não fosse.

Aproveita para, na falta de argumentos convincentes, atacar a jornalista. O que não constitui nenhuma novidade. A maioria dos políticos quando flagrada em ato vexatório ou moralmente condenável sempre culpa a imprensa. Quem aguenta mais essa desculpa?

Parece-me que o maior problema da nossa impactante Câmara Municipal é o ócio, onde o diabo costuma fazer moradia. Na falta do que fazer os vereadores inventam projetos estapafúrdios e dão título de cidadão a três por quatro. Os títulos estão tão desacreditados que mais ninguém leva a sério.  Não causam maiores males.

Diante dos últimos absurdos e prevendo coisas ainda mais escabrosas, talvez saia mais barato e menos danoso os vereadores e a prefeita ficarem quietos nos seus cantos, recebendo seus salários, no máximo dando títulos de cidadão natalense e “divulgando” Natal no exterior (acreditem, é melhor mantê-los longe da cidade).

Diante do que estamos vendo nos últimos meses, acho dispensáveis as ações ou preocupações da Câmara e da Prefeitura com relação à cultura. Por favor, senhores, deixem a cultura em paz.

Hoje um colega jornalista lembrou que a Fortaleza dos Reis Magos, nosso mais importante monumento, faz aniversário. Pedi a ele para não espalhar. Já pensaram se resolvem promover um furdunço lá dentro? Ou ainda pior, aproveitam a lembrança para modernizar o local ou mudar o seu nome?

Segurem-se nas selas, amigos. Esse foi apenas o primeiro ano da Câmara e da Prefeitura.

ao topo