Desculpas

Quero pedir desculpas aos que participaram do Encontro de Escritores de Língua Portuguesa, e, especialmente, aos leitores e colaboradores do SP pela forma como conduzo este blog “às vezes permitindo impressões levianas e irresponsáveis”. Lívio Oliveira (post mais abaixo) tem razão e agradeço a ele por me abrir os olhos. Lamento por alguns que me cercam. Muitas vezes me afirmaram que conduzo meus afazeres de forma equilibrada, justa e sincera. Sujeita a erros, claro, mas nunca mal intencionado.

De fato, busquei imprimir ao debate de ontem um ritmo ágil, desburocratizado e democrático. Com seis pessoas à mesa, mais os escritores convidados da primeira fila, que, pelo regulamento tinham direito a 15 minutos de intervenção, e as perguntas da platéia (formada por mais de 200 pessoas) entendi que não poderia conduzir os trabalhos de outra forma, por isso a adoção “hiperativa” e “um pouco pirotécnica”, pelas quais me penitencio agora.

É verdade que me inspirei para mediar o debate na minha experiência de 3 anos a frente do SP, onde todos tem direito a se expressar de forma desburocratizada e livre. Sendo assim, não poderia impedir o estudante de fazer o seu protesto, como defende Lívio. Dei e darei outras vezes a oportunidade de qualquer um se expressar aqui no SP e em qualquer evento que participe. Tenho nojo e ódio a ditaduras e ditadores, verdades absolutas e falsas unanimidades.

Sinceramente, lamento, mas a culpa não é minha, ter contribuído para empanar o brilhante evento. Fui convidado, mediante pagamento de cachê, a realizar um trabalho. Fui lá e tentei dá o melhor, como sempre faço em tudo que me proponho. Se não consegui, paciência, fica a lição para os organizadores, que da próxima vez podem contar com os serviços de alguém mais competente.

Aproveito para agradecer o elogio público a minha mediação (está gravado e passará na TV), feito durante o debate pelo escritor Ondjaki; do presidente da Funcarte, Rodrigues Neto – resumido na expressão: “foi show”; ao professor João da Mata, que escreveu post abaixo comentando minha atuação, e só lamento que mais uma vez alguns amigos tenham se enganado, me fazendo acreditar que fui bem, quando na verdade protagonizei um verdadeiro desastre.

Obrigado Lívio pela avaliação sincera e despojada de quaisquer intenções malévolas ou sentimentos menores.

Comentários

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ao topo