Desejo e Perigo

desejo

Desejo e Perigo, de Ang Lee, em cartaz no Cinemark é um excelente filme. Pena que tenha tão pouca gente na cidade interessada em assistir filmes que prestem. No domingo, umas vinte pessoas estavam na sessão. Volto a bater nessa tecla porque depois as sessões especiais (hoje existentes nas duas redes – Cinemark e Moviecom) acabam e, principalmente, uma certa classe média ignorante e boçal e os intelectuais de araque reclamam que Natal não oferece opções culturais de qualidade.

Assisti a quase todos os filmes de Ang Lee (A Arte de Viver, Banquete de Casamento, Comer, beber e viver, Razão e Sensibilidade, Tempestade de Gelo, Cavalgada com o Diabo, O Tigre e o Dragão, O Segredo de Brokeback Mountain). Não vi Chosen e Hulk. Uma filmografia bastante diversificada, ora abordando o mundo da América, ora focando na realidade asiática, mas que preza pela qualidade.

Na saída do cinema, encontrei um amigo e comentei isso, chamando atenção para o fato de o diretor ter dirigido até um western, que não lembrei o nome na hora (Cavalgada com o Diabo), que assisti no antigo Rio Verde num dos Festivais de Cinema promovidos por Valério Andrade. De todos os filmes dele, esse foi o que gostei menos.

E o que nos diz Desejo e Perigo? Que o sentimento amoroso é poderoso e insondável. Campo, por excelência, de incertezas e decisões que fogem a toda racionalidade, não importando se as consequências sejam a redenção ou a morte.

Go to TOP