Dias escuros

O clima frio, de segundos congelados, camufla a correria dos dias. O tempo escorre pelo ralo do banheiro. E tempo é medido segundo a vivência. Filósofos debruçam-se muito em estudos a respeito. Desde os gregos. Antes de Cristo, Horácio cunhou a frase Carpe Diem (aproveite o dia). Lembro de uma passagem de Goethe que diz mais ou menos o seguinte: “Cada segundo é de um valor infinito, pois ele representa a eternidade”. Tento segurar o tempo para apreciá-lo melhor. Olhá-lo com mais propriedade e cuidado. Tocá-lo, quem sabe. Talvez eu aprenda e conheça seu significado. De certo é algo mais valioso do que o dito de Bulwer-Lytton: “Time is money” (tempo é dinheiro). Por enquanto, o que sei é que meus dias têm escurecido rápidos e meu roteiro tem sido filmado em frenéticos espasmos de cinema noir.

Comentários

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ao topo