Discurso de Thomas Bernhard ao receber o Prêmio Nacional Austríaco de literatura

Por Michel Laub

(Trecho de Meus Prêmios – Companhia das Letras, 111 págs.):

“Ilustre senhor ministro, ilustres presentes,  Não há nada a louvar, nada a amaldiçoar, nada a condenar, mas muito há de ridículo; tudo é ridículo quando se pensa na morte.

aqui

Comentários

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ao topo