Distante ABL

A FSP de 4 de junho publicou matéria sobre eleição recente na ABL, tecendo considerações sobre ecritores e nem tanto ali presentes.

Pois é, a ABL abrigou gente boa e gente péssima. Até penso que a entidade pode servir para algo além de oferecer um chá semanal – um lugar onde Nelson Pereira dos Santos está (e onde Guimarães Rosa esteve) sempre merecerá nossa atenção. Mas essas políticas de relações públicas com governo e mídia, nas escolhas de novos sócios, são lastimáveis, a ABL não precisa disso para merecer respeito.

Considerei tímidas as indicações de não-acadêmicos. Muito mais gente grandiosa não passou por lá: Cruz e Souza, Clarice Lispector, Lima Barreto, Carlos Drummond…

Nem costumo citar os vexames na eleição de alguns membros (passado e presente), fico constrangido por respeito à Literatura.

Nasci em Natal (1950). Vivo em São Paulo desde 1970. Estudei História e Artes Visuais. Escrevo sobre História (Imprensa, Artes Visuais, Cinema Literatura, Ensino). Traduzo poemas e letras de canções (do inglês e do francês). Publiquei lvros pelas editoras Brasiliense, Marco Zero, Papirus, Paz e Terra, Perspectiva, EDUFRN e EDUFRJ. Canto música popular. Nado e malho [ Ver todos os artigos ]

Comentários

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ao topo