Distrito 9


Encontro alguma dificuldade para comentar Distrito 9. Já aconteceu de eu elogiar um filme e no dia seguinte enxergar um monte de falhas após assistir outro bem superior. Acontece. Lua Nova, por exemplo, caiu ainda mais no meu ranking após Distrito 9, cuja maior qualidade foi a mistura interessante de realidade e ficção.

Para sair de cima do muro, afirmo: vale o piratex e duas horas do seu tempo. Desperta alguma reflexão. Traz alguma originalidade. Evita lhe chamar de idiota a cada três segundos. O roteiro também foge da mediocridade. Os diálogos são enxutos, sem demasiadas frases de efeito, comum nos filmes comerciais.

Distrito 9 vale mais para conhecer o trabalho do diretor sul-africano Neil Blomkamp (produção de Peter Jackson, de O Senhor dos Aneis), a boa atuação do novato Sharlto Copley e os toques de Sci fi alienígena. Foi um filme barato, de recursos bem aproveitados, mas longe do meu Top 10 de 2009.

Acredito que música, literatura e esporte são ansiolíticos dos mais eficazes; que está na ralé, nos esquisitos e incompletos a faceta mais interessante da humanidade. [ Ver todos os artigos ]

Comments

Be the first to comment on this article

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Go to TOP