Do cansaço de meus 30 anos

“Quando eu tinha 30 anos, estava cansado e aborrecido por ter de considerar iguais a mim pessoas que nada tinham a ver comigo. Como um gato que, quando pequeno, brinca com bolinhas de papel porque acha que são vivas e parecem com ele, assim me sinto em relação aos bípedes”.

Não tenho ainda 30 anos. Faltam poucos meses. Quem escreveu os dizeres acima foi o filósofo alemão Arthur Schopenhauer. Identifiquei-me. Não só com a proximidade da idade quando dessas sensações. Mas também com a repugnância às pessoas tão distantes das minhas idéias e princípios.

Lembrei dessas palavras de Schopenhauer quando nada vejo de resultado a tantas denúncias inescrupulosas e sem resultados práticos de punição. Há cerca de dois meses vimos nossa cidade ser esfaqueada com o pagamento de propina contra o Plano Diretor de Natal. Dois terços das excelências parlamentares da Câmara Hipócrita de Natal foram denunciados, também por crime de peculato.

Em fins de julho ficamos estarrecidos com o maior desastre ecológico em rios da história do Rio Grande do Norte. Mais de 40 toneladas de peixes, crustáceos e moluscos mortos no nosso Potengi. Segundo estudos, serão precisos pelo menos 15 anos para o rio se recuperar.

Coincidência ou não há mais de 10 anos a indústria do camarão opera na área. Também por coincidência, talvez, mais da metade do manguezal – responsável pela limpeza, funcionando como um filtro natural – está ocupado por tanques de engorda do camarão. Centenas de famílias dependentes do rio continuam passando fome.

Passaram-se pelo menos mais de dois meses dessas duas tragédias para a imagem de Natal. Nada foi sentenciado. Onde estão os empresários corruptores? Quem são e o que fizeram, exatamente, os corrompidos? E quem são os responsáveis por tamanha maldade com o rio e a população ribeirinha?

Não, amigo leitor, reconheço minha mediocridade e meus defeitos muitos. Mas não sou igual a essa gente. Hipócritas, somos todos, em menor ou maior grau. Mas ainda resta em mim sensibilidade e um senso de humano. Cada vez mais me convenço de que a raça humana apodrece. Os maus exemplos são muitos e a impunidade alimenta mentes vazias, que também são em demasia.

Perto de meus 30 anos, sinto-me cansado desses bípedes. E nada posso fazer. Ou quase nada. Talvez o silêncio, o isolamento. Acho que quando menos contato com essa espécie de dois pés melhor se filtra desta vida. Talvez o melhor seja rastejar, como os répteis e suas vidas presas ao chão. Ah, os pássaros!…

Acredito que música, literatura e esporte são ansiolíticos dos mais eficazes; que está na ralé, nos esquisitos e incompletos a faceta mais interessante da humanidade. [ Ver todos os artigos ]

Comments

Be the first to comment on this article
  1. Gabriela Freire 2 de Outubro de 2007 12:33

    E eu cada vez mais amo meus cães…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Go to TOP