Do meu querido amigo Fred

Caro professor João da Mata,

Coisa boa ver que fui bem compreendido por vosmecê no estudo que desenvolvi para o Estrelas de couro: a estética do cangaço!
Não sei de quantas provas mais necessitaremos para convencer os recalcitrantes de que habitava em Lampião uma alma de artista (nele e em outros cangaceiros do bando que encontraram, da parte do chefe, o estimulo de que careciam para a costura e o bordado), sem que se deixe de atribuir ao Rei do Cangaço a brutalidade extrema nos momentos de ruptura.
Não mostrar ao mundo esse delicioso paradoxo, fechando os olhos às fontes documentais e testemunhais copiosas, é falsear a história em nome não sei de quê. E não fazer justiça ao nosso homem da caatinga.
Passaria um dia inteiro contando histórias ouvidas de cangaceiros sobre sutilezas desconcertantes de Lampião nos planos da arte, da informação, da contrainformação e do marketing intuitivo. Um mestre. Mas há quem não deseje ouvi-las.
Numa próxima ida ao Rio Grande do Norte, gostaria de que prosseguíssemos essa conversa.
Abraço muito cordial
Frederico

Físico, poeta e professor [ Ver todos os artigos ]

Comentários

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ao topo